uma parceria com o Jornal Expresso

Edição Diária >

Edição Semanal >

Assine O Mirante e receba o jornal em casa
31 anos do jornal o Mirante
Defender a tradição e apostar no turismo

Defender a tradição e apostar no turismo

Nuno Fernandes Thomaz confiante num bom resultado do CDS no distrito de Santarém
Edição de 19.01.2005 | Política
O cabeça de lista do CDS/PP às eleições legislativas pelo círculo de Santarém foi na sexta-feira a Tomar dizer que apesar de não ter raízes em Santarém irá “pegar o touro de caras” para garantir mais votos. “Chamo-me Nuno Fernandes Tomaz, tenho 36 anos, uma mulher fantástica e quatro filhos espectaculares”. Foi assim que o cabeça de lista pelo CDS/PP ao círculo de Santarém abriu as “hostilidades”, na apresentação pública dos candidatos do partido, que decorreu na sexta-feira à noite em Tomar.E porque gosta da frontalidade, o actual secretário de Estado dos Assuntos para o Mar também fez questão de dizer que não é de Santarém “desde pequenino”, nem sequer cá tem algum parente. “Tenho o meu padrinho de casamento a viver cá, venho muitas vezes visitá-lo e já cá passei algumas férias”, elucidou.Mesmo assim, Nuno Fernando Tomaz acredita ter “tudo o que é necessário” para ser útil ao distrito de Santarém – “Sou chato porque gosto de trabalhar, alegre porque gosto de lutar, gosto de tomar decisões, gosto muito, muito mesmo, da frontalidade”. Para ser útil a Portugal a partir de Santarém, o cabeça de lista do CDS/PP avançou com cinco acções: defender o valor da vida (frontalmente contra o aborto); as tradições e raízes, tendo orgulho nos campinos, nos toiros, na caça e nas procissões; fazer guerra à burocracia; defender a criação de emprego, com base na atracção de investimento, de indústria; e, por último, defender a esperança e alegria em trabalhar, “para que este país não morra de depressão”. Ao lado do líder do partido, Paulo Portas, e de Herculano Gonçalves, o presidente da distrital de Santarém do CDS/PP, o cabeça de lista por Santarém ressalvou as potencialidades do distrito ao nível do desenvolvimento empresarial dando como exemplos a criação de parques logísticos e o incremento do turismo, pondo ênfase no já gasto tema de Fátima e do turismo religioso.“Basta ter um plano mais ambicioso para que os seis milhões de turistas que vêm visitar Fátima sejam canalizados para visitar a história e os monumentos que este distrito tem”, referiu Nuno Fernandes Tomaz, adiantando que são precisos no distrito mais hotéis, mais restaurantes e “mais campos de golfe”.Apelando ao voto no seu partido, porque “um voto no CDS significa tirar a maioria ao PS”, o cabeça de lista do CDS/PP garantiu ainda que, “como se diz nesta terra”, irá pegar o toiro de caras.O líder do partido, Paulo Portas, falou da marca CDS, baseada em quatro palavras chave – competência, determinação, lealdade e estabilidade. À plateia que enchia a sala do Hotel dos Templários, Paulo Portas não poupou elogios a Nuno Fernandes Tomaz, nomeadamente na posição que tomou quanto ao chamado caso do barco do aborto e pediu ao eleitorado indeciso que olhe para o CDS/PP como “um reduto de confiança e estabilidade”.Mostrando-se convicto num bom resultado no distrito – “quem tem problemas de votos em Santarém não é o CDS, é o PS, basta olhar para os números”, Paulo Portas deu as OGMA como exemplo de que o seu partido cumpre o que promete. “Dissemos que a empresa não iria fechar e cumprimos”.
Defender a tradição e apostar no turismo

Comentários

Mais Notícias

    A carregar...