uma parceria com o Jornal Expresso

Edição Diária >

Edição Semanal >

Assine O Mirante e receba o jornal em casa
30 anos do jornal o Mirante

O regresso à organização cinquenta anos depois

Manuel Rosa é o mais velho juiz das festas de Amiais de Baixo ainda vivo

Mais de cinquenta anos depois, Manuel Rosa está a postos para regressar à organização das festas de Amiais de Baixo. É para o ano que o mais velho juiz da festa e os restantes juízes ainda vivos voltam à carga.

Edição de 26.01.2005 | Cultura e Lazer
Já passou mais de meio século desde que Manuel Rosa foi juiz das festas de Amiais de Baixo. Corria então o ano de 1953 quando o jovem Manuel, de 26 anos, tomou as rédeas da festa anual em honra do Mártir São Sebastião, que se realizam naquela vila do concelho de Santarém desde 1847. Para o ano vai voltar a ter responsabilidades na organização, tal como os restantes juízes ainda vivos.Actualmente com 78 anos, o juiz de 1953 lembra-se ainda de muitos pormenores das festas que organizou com a ajuda do escrivão e de uma dúzia de festeiros. “Naquela altura as ofertas eram muito mais pequenas. Os tempos eram outros e davam-se cinco ou dez tostões”, recorda, acrescentando que as despesas também eram bastante inferiores às de agora.Na altura, além da parte religiosa, só havia a banda de música e muitos foguetes e fogo de artifício. Nada de cantores afamados como actualmente. Hoje o pessoal novo já liga mais aos espectáculos musicais do que à componente religiosa. “É normal”, diz Manuel Rosa, reconhecendo que embora na altura as festas já fossem um marco na região e acolhessem muitos forasteiros, não vinha tanta gente como actualmente. “Agora há outra facilidade de transporte”, justifica.Do ano em que foi juiz das festas, Manuel Rosa não recorda nenhum momento especial. Só as muitas horas gastas e o facto de, no final, o dinheiro não ter chegado para as despesas, o que era comum na altura. Outra grande diferença é o número de pessoas ligadas à organização das festas. Em 1953 foi ele, o escrivão e mais uma dúzia de festeiros. Este ano, por exemplo, são setenta elementos ao todo. Um bom sinal, na sua opinião, que garante que a tradição está bem viva e não corre o risco de se perder.“As festas de Amiais estão vivas. Já houve anos em que tivemos problemas e em que só próximo da festa é que se encontrou juiz, mas agora está melhor”, acrescenta Manuel Rosa.Apesar dos quase 80 anos, em 2006 o juiz de 1953 vai voltar “à carga”. Foi decidido que no próximo ano serão convidados todos os juízes ainda vivos e Manuel Rosa, se a saúde o ajudar, não vai falhar. “Vou gostar e se tiver saúde vou acompanhar a procissão”, garante. Mais difícil será dar o seu pezinho de dança. “Isso agora é para os mais novos”, conclui o mais velho juiz das festas de Amiais de Baixo ainda vivo.

Comentários

Mais Notícias

    A carregar...