uma parceria com o Jornal Expresso

Edição Diária >

Edição Semanal >

Assine O Mirante e receba o jornal em casa
31 anos do jornal o Mirante

Águas domésticas invadem recinto escolar

Saneamento deficiente em Valada

O recreio da escola primária de Valada é regularmente invadido pelas águas residuais de uma casa vizinha. A situação pode ser resolvida em breve.

Edição de 02.02.2005 | Sociedade
A água proveniente da lavagem de máquinas e do quintal de uma casa vizinha da escola primária de Valada invade com frequência o recinto escolar. O dono da casa reclama há vários anos pela ligação da sua residência à rede de esgotos. A câmara promete solução para breve.O proprietário da casa, Daniel Madeira, explicou a O MIRANTE que não tem outra alternativa senão escoar as águas para a valeta pública. Só que quando o caudal é maior a água transborda para o recreio da escola. Desde 1997 que solicitou à autarquia a ligação à rede de esgotos, cuja conduta fica a pouco mais de cem metros de distância. O que ainda não foi feito. “Tenho uma fossa séptica que se enche de 15 em 15 dias com esgotos domésticos e ando a pagar 25 euros por cada despejo à câmara. Isto não se pode arrastar eternamente”, explicou o morador a O MIRANTE.Daniel Madeira defende que há soluções simples. Como fazer a ligação à fossa da escola ou aplicar duas caixas de limpeza na valeta e uma tubagem, para fazer a ligação ao esgoto.O presidente da Junta de Freguesia de Valada, Manuel Fabiano, refere que a situação não tem lógica mas que a junta pouco pode fazer senão sensibilizar a câmara para o assunto. “A casa está numa cota inferior à do colector de esgotos. Por isso, já se aventou a possibilidade de abrir um poço e bombear a água para a conduta principal de esgotos”, explicou.Mas o presidente da Câmara do Cartaxo, Paulo Caldas, defende uma solução diferente e diz que a resolução do problema está para breve, adoptando a via mais moderna em termos da rede de saneamento. “Só com a separação da rede de águas residuais e pluviais vamos resolver a situação. Valada tem um sistema de saneamento com ligação por emissário à ETAR e o problema em causa enquadra-se nesse sistema”, explicou o autarca, que recordou que a ligação do ramal à conduta principal caberá aos moradores. O espaço onde os alunos da Escola de Valada passam o recreio costuma ficar alagado cada vez que chove intensamente. Coberto com areia e com uma saída de escoamento de águas tapada, a água acumula-se rapidamente em toda a área onde as crianças brincam, inclusivamente uma zona cimentada junto às escadas para as salas de aula. Paulo Caldas diz que a situação está identificada e recorda que é intenção da junta de freguesia fazer a repavimentação daquele espaço e dotá-lo de melhores condições. “A autarquia vai fazendo intervenções nas escolas de primeiro ciclo na medida das suas possibilidades”, conclui.

Comentários

Mais Notícias

    A carregar...