uma parceria com o Jornal Expresso

Edição Diária >

Edição Semanal >

Assine O Mirante e receba o jornal em casa
31 anos do jornal o Mirante

Frio não arrefeceu o Carnaval na região

O frio e a crise não foram suficientes para afastar os foliões das ruas neste Carnaval. Dos corsos de Samora, Alpiarça ou Alhandra aos desfiles de crianças em Santarém, Mação, Tomar ou Forte da Casa, passando pelos espontâneos que aproveitaram para se mascarar, foram muitas as manifestações que marcaram a quadra. Porque tristezas não pagam dívidas.

Edição de 10.02.2005 | Cultura e Lazer
A folia foi mais forte que o frio que se sentiu no domingo e terça-feira. Os oito graus de domingo não arrefeceram os carnavais da região. Samora Correia e Alhandra registaram os maiores corsos, mas os foliões também desfilaram em Azambuja, Aveiras de Cima, Alpiarça, Santarém e Almeirim, onde o trio eléctrico substituiu os corsos de outros tempos.As ruas principais de Samora Correia foram transformadas num sambódramo onde cerca de 40 mil pessoas assistiram a dois corsos que juntaram o Carnaval organizado com o trapalhão. A Escola de Samba de Penafirme da Mata (Alenquer) com “sambistas bem peladas”, duas dezenas de carros alegóricos, e centenas de figurantes inundaram o palco improvisado de cor, ritmo e alegria. A cantora Romana foi a artista convidada e não precisou de cantar para encantar. Os irmãos António e Ana Ascenso assumiram o reinado com imponentes trajes amarelos e pretos e discursos críticos em relação à comunidade. Para vincar a tradição samorense não faltaram as tradicionais largadas de toiros e na quarta-feira o enterro de Santo Entrudo foi a valer.Tal como em Alhandra, onde uma dezena de carros e vários grupos levaram a animação às ruas da vila. A sátira à política nacional e o significado da vida estiveram em evidência com a participação de foliões de três gerações em representação das colectividades e instituições ou a título individual. Os reis foram “White Castle” e Frota porque a Quinta das Celebridades não podia faltar.Em Azambuja e Aveiras de Cima a competição foi visível entre as várias associações com dezenas de horas de trabalho voluntário a serem compensadas pelos aplausos e pelas gargalhadas de milhares de assistentes.As crianças também saíram à rua com corsos infantis em toda a região. O MIRANTE passou por Vialonga, Forte da Casa, Samora Correia, Alpiarça, Tomar, Azambuja, Santarém e confirmou que o Carnaval está vivo e tem futuro assegurado.

Comentários

Mais Notícias

    A carregar...