uma parceria com o Jornal Expresso

Edição Diária >

Edição Semanal >

Assine O Mirante e receba o jornal em casa
31 anos do jornal o Mirante
Um grande posto com poucos guardas

Um grande posto com poucos guardas

Vialonga inaugurou novas instalações da GNR

A população de Vialonga aplaudiu a entrada em funcionamento do novo posto da GNR, mas lembrou que não basta ter “uma casa grande”. Os 21 agentes ali colocados são insuficientes para garantir a segurança de 23 mil habitantes numa freguesia às portas de Lisboa e atractiva para o crime.

Edição de 10.02.2005 | Sociedade
Vialonga tem o melhor posto da GNR do concelho de Vila Franca de Xira, mas os 21 agentes ali colocados são insuficientes para garantir um policiamento de proximidade numa freguesia com 23 mil habitantes e com as influências da proximidade de Lisboa.O moderno edifício, de dois pisos, foi inaugurado na quinta-feira, 3 de Fevereiro pelo Ministro da Administração Interna, Daniel Sanches. Largas dezenas de populares e os alunos da vizinha Escola Básica do Cabo de Vialonga assistiram a uma cerimónia com honras militares. “Até que enfim que temos um posto em condições”, comentou Armindo Reis, um reformado que visitou as instalações após o descerrar da lápide.Mas “uma casa grande” por si só não vai resolver o problema da insegurança em Vialonga. A freguesia cresceu e o posto perdeu cinco homens em relação a 2002. Para agravar o défice, alguns agentes estão presos a funções de secretaria e impedidos de realizar outras tarefas, próprias de um agente preparado para manter a ordem pública. “É um problema generalizado”, reconhecido pelo ministro Daniel Sanches. “ O Estado não pode formar polícias para secretarias”, frisou.Mas em dia de festa havia que deixar boas notícias. O ministro e o Comandante-Geral da GNR, Tenente-General Mourato Nunes, sublinharam a descida da criminalidade que também se registou em Vialonga com menos 1,1 por cento de crimes em 2004, comparando com o ano anterior. Foram os melhores resultados dos últimos três anos. Os populares ficaram surpreendidos porque quem vive em Vialonga vive com o coração nas mãos e preocupado com a onda de assaltos, furtos e agressões. O tráfico de droga é feito em plena via pública e a qualquer hora do dia. Uma das justificações “para a bota não bater com a perdigota” é que uma boa parte dos ofendidos e lesados não apresenta queixa e por isso não há registo dessas ocorrências. Instalações modernas e confortáveisA entrada no posto é feita por duas meias portas de vidro, que apesar de resistentes podem ser perigosas. A recepção é moderna e tem ao lado uma sala de espera e em frente a secretaria. Ali bem perto estão dois calabouços equipados com cama de cimento, sanita, duche e lavatório. Os reclusos têm direito a cobertores e almofadas, mas os lençóis estão proibidos por razões de segurança. “Espero nunca me deitar nesta cama”, ironizou Joaquim Rodrigues, um dos muitos curiosos que visitaram as celas. No rés do chão funcionam também vários gabinetes, há sala de reuniões, arquivos, bar e refeitório. Os vestiários têm cacifos individuais, há uma garagem para várias viaturas e um logradouro amplo que vai funcionar como parque de estacionamento. No primeiro andar ficam os aposentos dos militares com quartos de duas e três camas, equipados com casa de banho “privativa” e uma sala de estar para convívio dos agentes. O espaço é confortável e está equipado com ar condicionado. “Parece um hotel”, disse um dos convidados.O novo posto da GNR de Vialonga custou 1,1 milhão de euros (220 mil contos). A obra foi protocolada há seis anos e meio, consignada há quatro anos e estava pronta há 11 meses. Mas o quartel só foi entregue à GNR em Janeiro. Foi uma obra complicada porque a empresa que iniciou a empreitada faliu os trabalhos estiveram suspensos 22 meses, sendo retomados em Outubro de 2003.Os agentes não vão ter saudades do espaço que ocuparam desde Abril de 2001 numa loja junto do mercado da vila. A presidente da Câmara Municipal de Vila Franca de Xira anunciou que está a negociar com o proprietário a continuidade do acordo, mas agora para acolher no local a delegação de serviços da câmara. Maria da Luz Rosinha aproveitou a presença do ministro para recordar que do protocolo assinado em 1998, com o então Ministro da Administração Interna, para a construção de novas instalações par as forças de segurança no concelho, só falta construir a nova esquadra da PSP de Vila Franca de Xira. A autarca considerou que deve ser uma prioridade do novo Governo porque a PSP está a trabalhar sem as condições mínimas. Maria da Luz Rosinha lembrou que a câmara já cedeu o antigo matadouro para a esquadra e está disponível para reforçar a sua colaboração. Nelson Silva Lopes
Um grande posto com poucos guardas

Comentários

Mais Notícias

    A carregar...