uma parceria com o Jornal Expresso

Edição Diária >

Edição Semanal >

Assine O Mirante e receba o jornal em casa
30 anos do jornal o Mirante

Gado furtado era abatido num matadouro clandestino

Na região de Vila Franca de Xira
Edição de 16.02.2005 | Sociedade
A Polícia Judiciária (PJ) continua a investigar uma rede que alegadamente se dedicava ao comércio de gado furtado e abatido num matadouro clandestino na região de Vila Franca de Xira. A semana passada a PJ anunciou a detenção de três homens suspeitos de furto de gado, que abatiam num matadouro sem condições sanitárias, e escoavam a carne para a rede comercial.Os homens, com idades entre os 33 e os 65 anos, são suspeitos de “pelo menos” 200 roubos, ocorridos desde 2000 em explorações agrícolas e pecuárias de Santarém, Torres Vedras, Alenquer e Caldas da Rainha.Segundo fonte policial, os suspeitos atacavam sobretudo os pequenos produtores, considerados alvos mais fáceis por se tratar de explorações mais isoladas e sem vigilância, e furtavam essencialmente suínos.O gado era abatido num matadouro clandestino e a carne escoada para a rede comercial, pondo em risco a saúde pública, sublinha a PJ em comunicado.No decurso da operação, a PJ apreendeu ainda documentos falsificados, como guias de transporte e “brincos” usados na identificação de animais, além de uma carrinha de caixa aberta que tinha sido furtada.Os suspeitos, que também produziam e vendiam gado, aproveitavam os documentos do gado que exploravam legalmente para fazer o transporte do gado roubado e colocavam os “brincos” mais do que uma vez, abrindo-os e voltando a usá-los, acrescentou a mesma fonte. Depois de presentes a tribunal os arguidos recolheram à prisão, onde vão aguardar o desenrolar do inquérito e o julgamento.

Comentários

Mais Notícias

    A carregar...