uma parceria com o Jornal Expresso

Edição Diária >

Edição Semanal >

Assine O Mirante e receba o jornal em casa
31 anos do jornal o Mirante
Transportes urbanos já rodam em Almeirim

Transportes urbanos já rodam em Almeirim

Autocarro, o primeiro com piso rebaixado nas cidades médias, começou a funcionar esta semana

Almeirim tem um novo meio de transporte. O TUA – Transportes Urbanos de Almeirim – já circula e visa combater o excesso de carros no centro da cidade. Até final do mês ninguém paga.

Edição de 16.02.2005 | Sociedade
Até ao fim do mês ninguém paga para andar no autocarro dos Transportes Urbanos de Almeirim (TUA), que fez a viagem inaugural na segunda-feira às 15h00. De segunda a sexta-feira o mini-bus cinzento com uma faixa amarela vai percorrer o miolo da cidade entre as 07h30 e as 20h00, parando em 12 ruas. Ao nível das cidades médias, este é o primeiro autocarro no país com piso rebaixado, que permite um acesso facilitado a pessoas com dificuldades de locomoção.Na primeira viagem a lotação - 12 lugares sentados e 10 de pé – estava esgotada pelos membros do executivo camarário e convidados. Nas cadeiras cinzentas sarapintadas de cores vivas o presidente da câmara, Sousa Gomes, e o director Direcção Geral dos Transportes Terrestres, Jorge Jacob, agarrados ao varão amarelo à sua frente, iam admirando as potencialidades do veículo.Mudanças automáticas. Lugar para cadeira de rodas com dispositivo especial para avisar o local de paragem. Máquina para emitir bilhetes no lugar do condutor, que custou cerca de quatro mil euros. Equipamentos que, juntamente com uma rampa que se desloca do interior do autocarro para o chão, permitindo a subida de cadeiras de rodas, fizeram as delicias dos primeiros viajantes. Nas 13 paragens assinaladas ainda não havia passageiros. Nestes primeiros dias vão ser poucos os interessados. Enquanto as pessoas não se habituarem à presença do autocarro não vai haver clientela, ia comentando o vereador do Trânsito, Pedro Ribeiro. Depois de sair da central de camionagem, junto à praça de touros, o TUA passou pela paragem na Rua Padre António Vieira. Seguiram-se as do bairro S. João Batista, a situada junto à escola secundária e depois a que está na Avenida 25 de Abril, junto à biblioteca e no mesmo local onde é possível apanhar os autocarros da rodoviária. Ao fim de dez minutos de viagem o veículo já tinha também passado a paragem da Rua dos Aliados, a da Avenida da Liberdade, a que está junto ao estádio municipal e piscinas. Foi na paragem nº 8, perto da rotunda norte, na Avenida D. João I, que se fez uma pausa para se observar o sistema de sinalização das paragens. De um lado há uma planta da cidade com o percurso e do outro os locais para recolha de passageiros e os horários. De regresso ao ponto de partida, há mais cinco sítios onde se pode apanhar o autocarro. Na rua de Alpiarça, na rua Bernardo Gonçalves (junto ao centro de saúde), perto da câmara municipal e a seguir há duas paragens na rua de Coruche. Uma perto de um centro de radiologia e de um banco e a outra perto da central de águas da autarquia. No final da viagem, que demora cerca de 30 minutos, o presidente da câmara, Sousa Gomes, disse que o TUA vem criar um novo conceito de mobilidade em Almeirim. A ideia é evitar que as pessoas levem o carro para o centro da cidade, aliviando a grande sobrecarga de estacionamento e permitindo uma maior fluidez da circulação. Visa também facilitar a vida aos cidadãos, já que nos primeiros domingos do mês, altura em que decorre a feira, o TUA vai funcionar entre as 07h30 e as 13h30. O mesmo horário é praticado todos os sábados. Para os passageiros, cada viagem fica em 50 cêntimos. Um passe para dez viagens tem um custo de 4,50 euros. Estudantes e pessoas com mais de 65 anos têm direito a um passe mensal de 6 euros sem limite de utilização.Parceria da câmara com a rodoviáriaO serviço de transportes urbanos de Almeirim funciona em parceria com a Rodoviária do Tejo (RT), a operadora de transportes que abrange o concelho. Com base num protocolo, a autarquia comprou o veículo e paga à RT quatro mil euros mensais. Em troco, a empresa cede os motoristas e fica encarregue da limpeza, manutenção e inspecções da viatura. A receita dos bilhetes vai para a autarquia, que assume ainda a responsabilidade pelos pneus, combustíveis e avarias extraordinárias da viatura. O protocolo tem a validade de dois anos, podendo ser renovado, salvo se houver renúncia de uma das entidades até aos 120 dias anteriores à data.O autocarro e as paragens custaram cerca de 125 mil euros. Metade do valor é suportada pela Direcção Geral dos Transportes Terrestres.
Transportes urbanos já rodam em Almeirim

Comentários

Mais Notícias

    A carregar...