uma parceria com o Jornal Expresso

Edição Diária >

Edição Semanal >

Assine O Mirante e receba o jornal em casa
31 anos do jornal o Mirante

Museu de Vila Franca com candidatura aprovada

Edição de 23.02.2005 | Sociedade
A unidade de gestão do Programa Operacional da Cultura (POC) aprovou, no dia 14 de Fevereiro, a candidatura do projecto do Museu do Neo-realismo apresentada pela Câmara de Vila Franca de Xira. O concurso para a adjudicação da empreitada pode avançar em Março. O POC deverá financiar o projecto em 1,68 milhões de euros, correspondentes a 50 por cento do investimento. A presidente da câmara anunciou que a autarquia vai ter de realizar um empréstimo para financiar a obra. O Museu do Neo-realismo funciona, desde a sua criação há mais de 25 anos, no antigo edifício da biblioteca municipal, em frente dos Paços do Concelho. As instalações consideradas “provisórias” são exíguas e não garantem a segurança do valioso acervo. O novo museu será construído no centro da cidade. O Pátio do Casquinha, que é hoje um parque de estacionamento da Junta de Freguesia, é o terreno reservado para o museu.Uma localização contestada pelo vereador do PSD. Rui Rei considera que a Câmara poderia ter conseguido um espaço com mais terreno. ”Fica no centro da cidade, mas numa zona com muitos problemas”, disse. A presidente da câmara informou que a câmara terá direito de preferência no processo de venda dos terrenos e construções antigas existentes nas traseiras do futuro museu. “Num momento futuro, aqueles terrenos virão à posse da autarquia e permitirão o alargamento do espaço envolvente do museu”, referiu.Alves Machado (CDU) considerou que o projecto de arquitectura e o conteúdo museológico se enquadram bem no espaço urbano do centro da cidade e sublinhou que o museu terá uma dimensão nacional pela importância do movimento de Alves Redol. José Pinheiro da Associação Promotora do Museu do Neo-Realismo congratulou-se com o “fim de uma luta longa”. “Temos finalmente uma luz ao fundo do imenso túnel”. O promotor considerou que agora o processo é irreversível. “ A cultura do concelho e do país irão ficar mais ricas e beneficiadas”.

Comentários

Mais Notícias

    A carregar...