uma parceria com o Jornal Expresso

Edição Diária >

Edição Semanal >

Assine O Mirante e receba o jornal em casa
30 anos do jornal o Mirante

VMER parada porque o médico adoeceu

Disponibilidade dos profissionais condiciona operacionalidade da viatura de emergência médica

Na semana passada a única Viatura Médica de Emergência e Reanimação afecta ao Hospital de Santarém esteve parada uma manhã porque o médico destacado para o serviço adoeceu.

Edição de 23.02.2005 | Sociedade
A escassez de médicos especializados em emergência pré-hospitalar e a falta de disponibilidade dos que têm formação nesta área condicionam a operacionalidade da VMER (Viatura Médica de Emergência e Reanimação). No dia 23 a VMER de Santarém não pôde prestar socorro durante a manhã porque o médico que estava escalado para o serviço ficou doente. Apesar da viatura afecta ao Hospital de Santarém ter uma taxa de inoperacionalidade muito baixa, de um por cento, há um risco constante de poder parar temporariamente por falta de profissionais. É que os 18 médicos destacados para a única viatura de emergência médica do distrito exercem também actividade em várias especialidades hospitalares. Situação que lhes condiciona o tempo disponível para trabalhar na VMER.Segundo Rui Moreira, das relações públicas do Hospital de Santarém, nas situações em que o profissional não está disponível por motivos de força maior e o aviso é feito em cima da hora é difícil proceder à sua substituição. Isto porque, acrescenta, os outros médicos têm compromissos profissionais dentro do hospital ou em outras instituições de saúde. Rui Moreira dá o exemplo de um clínico que trabalhe no bloco operatório, o qual só poderá disponibilizar um dia por semana para exercer funções na VMER. Há ainda dificuldades em encontrar médicos com vontade ou perfil para exercer este tipo de actividade. Quando a VMER de Santarém começou a funcionar, em Julho de 2004, foi difícil encontrar profissionais interessados.Admitindo que as escalas da VMER estão esticadas até ao limite, Rui Moreira ressalva que a nível de enfermeiros não há tantas dificuldades. Actualmente são 16 os profissionais desta área com formação específica para trabalhar neste serviço, a quem cabe também a condução do carro. A Viatura Médica de Emergência e Reanimação está equipada com ventilador portátil, equipamento de monitorização de vida, malas de medicamentos, oxigénio, entre outros meios. A tripulação é composta por um médico e um enfermeiro, que recebem formação do Instituto Nacional de Emergência Médica.

Comentários

Mais Notícias

    A carregar...