uma parceria com o Jornal Expresso

Edição Diária >

Edição Semanal >

Assine O Mirante e receba o jornal em casa
31 anos do jornal o Mirante

Maturidade

Torres Novas vence U. Santarém por 1-0 e equilibra as contas do distrital de juniores

O Torres Novas venceu este sábado o União de Santarém por 1-0 e acabou com a invencibilidade dos líderes do Campeonato Distrital de Juniores nesta segunda fase. Os torrejanos marcaram primeiro e souberam segurar a vantagem até final. Os escalabitanos tentaram dar a volta ao marcador, tiveram várias oportunidades mas perderam-se em jogadas individuais sempre resolvidas pela defesa segura dos forasteiros.

Edição de 02.03.2005 | Desporto
Um golo do lateral direito do Clube Desportivo Torres Novas, Tiago Ferreira, aos 32 minutos de jogo, valeu à equipa torrejano os três pontos frente ao líder do campeonato, o União de Santarém, equipa que até então somava por vitórias os cinco jogos já disputados.O golo surgiu na sequência de um pontapé de canto apontado na esquerda do ataque torrejano, com Tiago Ferreira a saltar mais alto que todos na área adversária e a cabecear para o fundo da baliza de Sérgio.Antes, logo aos dois minutos, a equipa escalabitana, a jogar no pelado da Ribeira de Santarém, podia ter inaugurado o marcador. Covas, um avançado muito rápido, entrou pela direita e cruzou para a grande área, onde apareceu Rui a desviar para a baliza. A bola saiu um palmo ao lado do poste.O União de Santarém dominava o jogo mas esbarrava sempre numa muralha defensiva muito organizada. Filipe Carvalho e Hélder Parker, os dois centrais do Torres Novas, revelavam um bom entrosamento e anulavam as jogadas de ataque da equipa da casa, com os jogadores já ai a revelarem alguma tendência para o individualismo.Mas o Torres Novas não se limitava a defender. Com um futebol directo, os visitantes cria-vam oportunidades sobretudo em lances de contra-ataque. Fábio Pereira era o jogador mais perigoso, jogando e fazendo jogar toda a frente ofensiva da sua equipa.Após o golo de Tiago Ferreira, o União de Santarém apostou ainda mis no ataque e, aos 40 minutos, depois de uma boa iniciativa de Diogo, Petrov, sozinho ao segundo poste, rematou às malhas laterais.A dois minutos do intervalo, o árbitro da partida, Gonçalo Dias, que conjuntamente com Ricardo Ribeiro e Fernando Ferreira realizou uma actuação positiva, teve talvez o seu único erro durante o jogo deixando passar em claro um derrube bem evidente a Rui dentro da grande área do Torres Novas. Na sequência do lance, Aranha rematou à trave da baliza torrejana e na recarga Covas, em boa posição, rematou de primeira contra um emaranhado de pernas de jogadores adversários.Ao intervalo, a vantagem de 1-0 para a equipa forasteira parecia algo injusta, pois as melhores oportunidades tinham pertencido aos escalabitanos. O treinador da equipa da casa, Luís Melro deixou Petrov e Bruno no balneário e fez entrar para os seus lugares Sequeira e Cristiano, reforçando assim a sua capacidade ofensiva.Mas, ao contrário do que se esperava, o União de Santarém nunca conseguiu cair em cima do Torres Novas. Paulo Alves deu indicações para a sua equipa defender alto e os jogadores da casa, apesar de terem mais tempo a bola em seu poder, sentiam enormes dificuldades em chegar à baliza defendida por César Carvalho, que até acabou por não ter muito trabalho.A primeira oportunidade do segundo tempo coube mesmo aos visitantes. Aos dez minutos, Duarte Ribeiro rematou com perigo a rasar a barra.O União de Santarém só voltou a criar perigo nos últimos minutos. A cinco minutos do final do tempo regulamentar, Diogo marcou um livre do lado direito e Cristiano, com espaço, cabeceou ao lado.A vitória do Torres Novas acaba por se aceitar porque foi a equipa mais madura em campo. Marcou quando teve oportunidade para isso e depois soube defender de forma personalizada, segurando o jogo a meio campo e não dando espaços aos adversários. O empate também se aceitaria uma vez que o União de Santarém dispôs de pelo menos três oportunidades flagrantes para fazer golo, mas os jogadores precisam de trabalhar mais colectivamente deixando de lado algum individualismo.Como se disse Gonçalo Dias e seus auxiliares realizaram uma boa actuação, com o único senão da grande penalidade cometida na área do Torres Novas. Mas o árbitro também tem direito a errar e o jovem Gonçalo demonstrou personalidade e boa capacidade técnica. Apita com um sorriso na boca, sem ser gozão, fala quanto baste com os jogadores e, pelo menos neste jogo, interpretou bem a lei da vantagem deixando jogar até ao limite da lei.

Comentários

Mais Notícias

    A carregar...