uma parceria com o Jornal Expresso

Edição Diária >

Edição Semanal >

Assine O Mirante e receba o jornal em casa
30 anos do jornal o Mirante
Casa da Joaninha caiu por terra

Casa da Joaninha caiu por terra

Garrett imortalizou a vila na sua obra
Edição de 02.03.2005 | O poder local aqui tão perto
As ruínas da casa da Joaninha são os últimos vestígios da passagem de Almeida Garrett pelo Vale de Santarém. Do imóvel que dizem ter sido descrito por Almeida Garrett no romance “Viagens na Minha Terra”, apenas resta a fachada. A sua recuperação continua a ser adiada. No livro, Almeida Garrett descreve o Vale de Santarém como “um destes lugares privilegiados pela natureza”. No romance fala em “sítios amenos e deleitosos em que as plantas, o ar, a situação, tudo está numa harmonia suavíssima e perfeita”.O visconde de Almeida Garrett, nas suas “Viagens na minha terra”, tendo por base a viagem por ele feita em 17 de Julho de 1843, em visita ao seu amigo Passos Manuel, residente na Alcáçova de Santarém, fala de uma janela de Joaninha. A menina dos rouxinóis, a doce amada de Carlos. Segundo reza a história, Garrett pernoitou nessa casa da Joaninha que pertencia ao seu amigo Rebello da Silva, um historiador e político reconhecido. Defensores do património, por várias vezes, alertaram para a degradação do imóvel conhecido como casa da Joaninha. O estado de ruína chegou há poucos anos ao ponto de não retorno. A reconstrução é impossível. Há projectos para ali se construir um imóvel ligado à passagem de Garrett pela zona, onde se promova a cultura, mas falta passar das intenções à obra.
Casa da Joaninha caiu por terra

Comentários

Mais Notícias

    A carregar...