uma parceria com o Jornal Expresso

Edição Diária >

Edição Semanal >

Assine O Mirante e receba o jornal em casa
31 anos do jornal o Mirante

Filomena Costa

“A maior prova de que não há igualdade entre homens e mulheres é o facto de só haver apenas duas mulheres no Governo. A outra prova mais aberrante de todas é haver o dia das mulheres... ”

37 anos, tradutora, Azambuja

Edição de 16.03.2005 | Agora falo eu
Se fosse um membro do Governo que medida tomaria?Se fosse ministra da Educação apostava no ensino profissional. Apesar de 20 por cento dos portugueses tirarem cursos superiores, há uma grande parte que não tira curso nenhum. Os alunos que estão no secundário sentem que têm que ir para a faculdade e, se não conseguem, não há alternativa. Em todos os países qualquer emprego por mais simples que seja tem um diploma. A economia não pode ir para a frente se não houver profissionais.Qual deveria ser o valor do ordenado mínimo nacional?O ordenado mínimo em França ronda os 800, 900 euros, mas os preços da gasolina, alimentação, vestuário e hotéis são os mesmos que em Portugal. Às vezes são até mais baratos. Acho que a Europa deveria ser igual para todos. O ordenado mínimo em Portugal não deveria ser menos de 600 euros.Já chamou a atenção de alguém por mandar papéis para o chão?Já. À minha filha de quatro anos (risos). Tem a ver com a educação e eu tento incutir-lhe esses valores. A minha mãe, que tem 50 e poucos anos e não foi criada em Portugal, foi habituada a reciclar. Lava os recipientes dos iogurtes, as latas de conserva dos gatos e separa tudo. Regressei a Portugal há 12 anos, depois de viver em França, e foi um grande choque ver as pessoas a deitar os papéis dos maços de cigarros pelas janelas dos carros. Tinha amigas que o faziam e chateei-me a sério com algumas delas por causa disso. Alguma vez fez compras pela internet?Sim e se pudesse comprava tudo pela Internet. Sou muito comodista. Infelizmente ainda não posso fazer as compras correntes de casa, já que o hipermercado mais perto ainda não faz a entrega gratuita. Costumo comprar material informático para a minha actividade e ainda ontem adquiri uma viagem. Compro tudo aquilo que não preciso de apalpar para ver a qualidade. Também pago as minhas contas através do site do meu banco e até já comprei um cão pela Internet. Até agora não tenho razões de queixa.Alguma vez pediu o livro de reclamações?Normalmente acabo por criticar logo aquilo que acho que não está bem e não perco tempo com o livro. Em Marrocos não cheguei a pedir o livro de reclamações, mas escrevi uma carta ao provedor do turismo porque o hotel onde estávamos instalados não tinha as condições que estavam publicitadas.Há plena igualdade entre homens e mulheres?A maior prova de que não há igualdade entre homens e mulheres é o facto de haver apenas duas mulheres no Governo. A outra prova mais aberrante de todas é haver o dia das mulheres. Se há o dia das mulheres, e não o dos homens, por algum motivo é. Acho que ainda não chegamos à igualdade. As mulheres acabam por fazer tudo o que os homens fazem e até melhor, mas um bocadinho na sombra deles. Já viu um filme português no cinema? Já, em França. Há muitos anos vi “Recordações da Casa Amarela”, de João César Monteiro, e gostei muito. Foi em Paris numa sala cheia de franceses que também gostaram muito. Isso leva-me a crer que, infelizmente, este tipo de cinema ainda não é muito divulgado em Portugal.Qual é o seu livro de cabeceira? “A Regra de Quatro”, de Ian Caldwell e Dustin Thomason. É sobre um livro mais antigo do que a Bíblia. É um thriller sobre como descodificar esse livro. Passa-se no século XVI. Acabei-o ontem. É do estilo do “Código Da Vinci”. Depois de o ler decidi conhecer as obras que lá eram citadas.Onde gostaria de passar umas férias?Tahiti!... Estive a traduzir agora um guia sobre esse destino e acho que deve ser o sítio ideal para estar. Uma ilha qualquer, sei lá, Bora Bora...

Comentários

Mais Notícias

    A carregar...