uma parceria com o Jornal Expresso

Edição Diária >

Edição Semanal >

Assine O Mirante e receba o jornal em casa
31 anos do jornal o Mirante
Assisado Manuel Serra D’Aire

Assisado Manuel Serra D’Aire

Edição de 23.03.2005 | E-mails do outro mundo
Primeiro que tudo a minha solidariedade para com o delegado regional de Santarém do Instituto Português da Juventude. Eu não sei se o jovem Paulo Tavares tem alguma coisa a ver com o prefácio do Armando Vara que foi arrancado a centenas de exemplares do livro “Nós” antes de serem enviados para a ExpoCriança.Mas mesmo que não tenha tido, devia ter aproveitado a oportunidade para assumir essa responsabilidade. Ficaria para a história o seu contributo para a elevação da cultura portuguesa. Ao erradicar o pincel escrito pelo ex-governante socialista estaria a contribuir para um mundo menos penoso e cinzento.Aliás, esta medida devia constituir um aviso para todos os prefaciadores deste mundo. Essa casta de chatos a quem incautamente dão de barato meia dúzia de páginas por exemplar para atulharem de encómios o autor e atrasarem a chegada do leitor ao que verdadeiramente lhe interessa.Um tipo, por exemplo, que se atrevesse a escrever um prefácio de um livro do presidente da Câmara de Torres Novas devia ser detido e expulso do país por estar a incitar o potencial leitor à eutanásia. Há coisas que não se fazem nem a brincar e espero que não tenha havido quem se tenha aprestado a semelhante empreitada. Já me custou acreditar que ele tivesse escrito um livro, mas arranjar quem lhe escrevesse o prefácio é demais… Mesmo sabendo-se que o autarca AMOR é fogo que arde sem se ver e que com ele não se brinca.Além disso temos as consequências ambientais de tão nefanda prática. A multiplicação dos prefácios tem efeitos gravíssimos no nosso ecossistema. Cada relambório do Mário Soares, que é um dos prefaciadores mais concorridos do país, significa um eucalipto abatido. E um inócuo escrito do Armando Vara não lhe fica atrás. Se não se põe mãos neste forrobodó, algum dia não há árvores para os pirómanos atearem o fogo. E acabando-se os pirómanos acabam os fogos, e sem fogos não são precisos bombeiros… Estás a ver onde é que isto pode chegar?É por essas e outras que Paulo Tavares não deve estar preocupado. E muito menos incomodado com as diligentes mãos que arrancaram tanto prefácio varístico. Se considera que a sua imagem pública ficou afectada, esteja à vontade. Agora temos a Idália Moniz como secretária de Estado da Reabilitação, que existe para isso mesmo: para reabilitar quem precisa.Já ouvi dizer que a lista é extensa e que não vai faltar trabalho à nova secretária de Estado. Desde políticos chegados de extenuantes travessias do deserto a outros que se aprestam para seguir esse rumo tudo é reabilitável. O presidente da Câmara de Santarém, por exemplo, ainda poderá chegar a Outubro com hipóteses de ser levado a sério pelos eleitores caso deixe de escrever no boletim municipal e de usar suspensórios.O mesmo se passa com o presidente da concelhia do PSD de Tomar e vereador da câmara municipal, que já terá sido aconselhado a deixar de escrever bilhetes de amor nos jornais e a passar aos actos, começando por cortar o bigode. É que os leitores já estão fartos de tanto palavreado de telenovela mexicana e ameaçam correr com ele da câmara. O espaço podia, por exemplo, ser aproveitado para colocar fotos de gajas nuas. Era reabilitação certinha perante o povão.Insofismável Manel, como já deves ter reparado não tenho falado de futebol. O pesadelo que me vem atormentando nestas últimas semanas só de pensar em ver o Benfica campeão anda a deixar-me o moral ao nível de um parque de estacionamento subterrâneo. E se essa catástrofe se concretizar não há Secretaria de Estado que me consiga reabilitar. O melhor mesmo é emigrar…Saudações primaveris do Serafim das Neves
Assisado Manuel Serra D’Aire

Comentários

Mais Notícias

    A carregar...