uma parceria com o Jornal Expresso

Edição Diária >

Edição Semanal >

Assine O Mirante e receba o jornal em casa
31 anos do jornal o Mirante

José Alho quer ganhar Câmara de Ourém

Socialistas apostam num nome forte para derrubar bastião do PSD
Edição de 23.03.2005 | Política
José Alho é o rosto da mudança em Ourém. O candidato socialista tece duras críticas à gestão social-democrata no concelho e garantiu que o objectivo na corrida à câmara é a vitória.A conquista da Câmara de Ourém é uma das apostas mais fortes da Federação Distrital de Santarém do Partido Socialista. Quem o disse foi Paulo Fonseca, presidente da distrital, na apresentação do candidato do partido, no sábado. É por isso que a escolha do candidato recaiu sobre o ambientalista José Alho, ouriense de gema e até agora director da Liga para a Protecção da Natureza.“Estamos absolutamente empenhados na conquista da Câmara de Ourém e por isso precisávamos de uma candidatura extremamente forte, como é esta”, garantiu Paulo Fonseca.Apelidando a apresentação de “momento solene” - pela amizade de longa data que mantém com o candidato e pelo facto de considerar ser ele a alternativa mais credível para derrubar o PSD e David Catarino da cadeira do poder num dos concelhos mais laranjas do país - o dirigente do PS afirmou que José Alho é a lufada de ar fresco que Ourém precisa.O candidato sabe que a tarefa não será fácil. Ourém sempre foi um bastião social-democrata e, apesar do “excelente desempenho” de Paulo Fonseca nos últimos anos, a verdade é que a câmara continua a ser governada pelo PSD. Mal governada, na opinião do candidato socialista. Para José Alho o concelho anda sem rumo, culpa de uma política “irresponsável e incompetente” do executivo laranja encabeçado por David Catarino.E foi por um “imperativo de cidadania”, com o intuito de “devolver a confiança aos cidadãos”, que José Alho se candidatou. “Temos de dignificar a imagem de Ourém no contexto regional e nacional”, referiu o candidato, adiantando que basta de se ouvir falar de Ourém só pela negativa, dando como exemplo a última polémica em redor da construção do hipermercado Intermarché.“Estamos fartos de viver num concelho onde as pessoas não são tratadas de forma equitativa e quem tem mais influência junto do poder instalado consegue obter sempre o que lhe interessa”. Por isso, José Alho garante que se for eleito irá apoiar e valorizar a capacidade empreendedora das gentes do concelho, sem olhar à cor política e sem esquecer o “enorme potencial” dos emigrantes.Sob o lema “pensar global, agir local”, o candidato desafia todos a participar nas opções de desenvolvimento de Ourém, considerando que o futuro do concelho passa pela capacidade de integrar as potencialidades naturais e as dinâmicas sociais e económicas – até agora feita apenas à custa dos empresários – de forma estratégica, assente na relação com as pessoas e com as instituições, nomeadamente o Poder Central.“Estamos fartos de morar num concelho que tem recebido sempre verbas irrisórias do PIDDAC porque as candidaturas não têm credibilidade suficiente para serem apoiadas”.Afirmando estar nesta luta “um bocado em contramão”, porque enquanto muitos rumam para Lisboa para garantir um lugar na administração pública ele regressa à terra que o viu nascer, José Alho garantiu estar neste projecto de corpo e alma e a tempo inteiro. É por isso que no dia anterior à apresentação da sua candidatura não renovou o mandato como presidente da Liga para a Protecção da Natureza. Para ele, só a vitória interessa.

Comentários

Mais Notícias

    A carregar...