uma parceria com o Jornal Expresso

Edição Diária >

Edição Semanal >

Assine O Mirante e receba o jornal em casa
30 anos do jornal o Mirante
Acabaram-se as inundações

Acabaram-se as inundações

Leito do Ribeiro do Casal Velho, no Pinheiro Grande, já está regularizado e alargado
Edição de 23.03.2005 | Sociedade
A população da zona baixa do Pinheiro Grande, Chamusca, já pode dormir mais descansada em tempo de chuvas fortes. O leito do Ribeiro do Casal Velho já está regularizado e alargado e o seu talude foi consolidado de modo a permitir o escoamento das águas e evitar as inundações que ciclicamente aconteciam na parte baixa da aldeia.A obra, que custou mais de 750 mil euros, foi técnica e financeiramente dirigida pelo INAG – Instituto da Água e teve o apoio do Fundo de Solidariedade Europeu, na sequência dos fogos de 2003. A intervenção foi feita em cerca de um quilómetro de extensão, ainda não está completa. Falta regularizar um troço que passa no campo e também a plantação de uma cortina de árvores em toda a área urbana atravessada pelo ribeiro. “Para já não houve dinheiro para mais, mas não vamos deixar cair o projecto”, garantiu o representante do INAG, engenheiro Valério, na sexta-feira dia 18 de Março, durante uma visita às obras e ao descerramento de uma placa, que recorda a lenda do ribeiro, que afinal tinha a tendência para procurar o leito original, pois foi desviado para se construir a estrada que agora era muitas vezes galgada pelas águas.Foi após os catastróficos incêndios de 2003 que o INAG resolveu intervir naquele curso de água, mas as inundações que se seguiram nesse mesmo ano ajudaram a que a obra andasse mais rapidamente. O alargamento, a regularização e consolidação dos taludes e do leito do ribeiro vai permitir responder ao escoamento dos caudais mesmo em alturas mais críticas. “Tudo foi feito com base em estudos das maiores enxurradas que aconteceram nos últimos cinquenta anos”, garantiu o responsável do INAG.O presidente da Junta de Freguesia do Pinheiro Grande, Artur Jacinto (PS), mostrou toda a sua satisfação por ver esta obra concluída mesmo no final do seu mandato à frente da autarquia. “Era uma obra por que lutávamos há muitos anos. Felizmente vai ficar feita e as pessoas da parte baixa da aldeia vão poder dormir mais descansadas na altura das chuvas. E eu deixo a presidência da junta ainda mais satisfeito”.O presidente da Câmara Municipal da Chamusca, Sérgio Carrinho (CDU), preferiu realçar o trabalho efectuado por todas as instituições e pela empresa que fez a obra e recordou que ainda falta fazer a regularização do troço do campo. “Foi necessário encontrar muitas competências e o empenhamento das instituições, principalmente do INAG, para levar a obra por diante, mas ela já é bem visível e vai ser de capital importância no futuro”, garantiu.Esta foi a maior obra efectuada nos cursos de água que correm no concelho da Chamusca, mas não foi a única. A câmara municipal, interveio em praticamente todos os ribeiros e ribeiras do concelho. “Há apenas dois ou três pequenos cursos de água onde ainda não fizemos obras, o resto está tudo regularizado”, garantiu Sérgio Carrinho.
Acabaram-se as inundações

Comentários

Mais Notícias

    A carregar...