uma parceria com o Jornal Expresso

Edição Diária >

Edição Semanal >

Assine O Mirante e receba o jornal em casa
30 anos do jornal o Mirante

Jovens pouco preocupados com o emprego

Semana da Juventude de Benavente
Edição de 23.03.2005 | Sociedade
Contaram-se com os dedos os jovens que responderam ao desafio da Câmara Municipal de Benavente para participarem numa conferência sobre “Mundo do Trabalho e Saídas Profissionais”, realizada no passado dia 16, no Palácio do Infantado em Samora Correia. A iniciativa foi integrada na semana da juventude que decorreu no concelho até domingo. Os poucos estudantes presentes não colocaram perguntas aos oradores e o serão acabou por ser aproveitado pelos adultos presentes que manifestaram preocupações com o futuro dos seus filhos e netos.A necessidade das empresas valorizarem a formação e qualificação dos seus trabalhadores, assim como a necessidade das escolas estarem mais ligadas ao tecido empresarial da região foram dois dos assuntos destacados. Carlos Marques, em representação da Escola Profissional de Salvaterra de Magos, relembrou o elevado número de licenciaturas que existem em Portugal e a necessidade de se continuar a apostar na formação de quadros médios. “Com as fronteiras da Europa abertas, é preciso que os jovens passem a ter mais mobilidade, e aproveitem oportunidades de emprego que, por vezes, surgem noutros países da União Europeia”, referiu o orador. Outros dos conselhos deixados, foi para uma maior abertura das instituições educativas à sociedade. “Deve-se apostar nos estágios curriculares. É a escola que tem de dar o primeiro passo”, referiu.A conferência serviu também para elucidar os interessados sobre os apoios que existem para o prosseguimento de estudos. A psicóloga Catarina Pinheiro, do grupo de acção social da Câmara Municipal de Benavente, explicou todo o processo de candidaturas a bolsas de estudo que visam promover a igualdade de oportunidades entre os estudantes. Finalmente, coube ao director do Centro de Emprego de Salvaterra de Magos, Álvaro Batista, alertar os estudantes para as necessidades do mercado de trabalho. Há uma carência de técnicos nas áreas da higiene e segurança no trabalho, mecânica, metalomecânica e serralharia. Acompanhado por duas técnicas, o responsável relembrou que além da vocação, é sempre muito importante ter também em conta que “há profissões mais necessitadas de trabalhadores do que outras”.Mário Gonçalves

Comentários

Mais Notícias

    A carregar...