uma parceria com o Jornal Expresso

Edição Diária >

Edição Semanal >

Assine O Mirante e receba o jornal em casa
30 anos do jornal o Mirante

Nem o Inverno escapa aos fogos

Maior número de casos na zona norte do distrito
Edição de 23.03.2005 | Sociedade
Em Janeiro e Fevereiro o grupo territorial da GNR de Santarém registou na sua área de intervenção 88 fogos, que provocaram a destruição de 67,5 hectares de mato e floresta. Foram identificados 10 suspeitos. Segundo as estatísticas do grupo territorial da GNR de Santarém, que abrange todo o distrito, no mês de Janeiro registaram-se 29 incêndios, o que dá quase um por dia. O mês de Fevereiro foi mais negro, com um total de 59 ocorrências. O que dá uma média superior a dois casos por dia. Do total de 88 autos levantados pela GNR, os concelhos com maior número de casos situam-se na zona norte do distrito. Ourém lidera a lista negra com 18 situações, segue-se Tomar com 12, Abrantes com 4 e Torres Novas 3. Na área da Lezíria do Tejo, o concelho da Chamusca é o pior com 12 ocorrências. Perto fica Rio Maior (9), Salvaterra de Magos (8) e Santarém (7). Os restantes concelhos registaram entre um e dois casos nos meses de Janeiro e Fevereiro. No primeiro item estão os concelhos de Mação, Barquinha, Almeirim, Benavente e Golegã. Com duas situações aparecem os de Sardoal, Ferreira do Zêzere, Constância, Coruche e Alcanena. A GNR, do que conseguiu contabilizar, apurou um volume de prejuízos de cerca de quatro mil euros. O que teve maior volume de danos foi o fogo de Constância, no dia 4 de Fevereiro, com estragos avaliados em mil euros. Arderam na altura dois hectares. Destaque ainda para dois incêndios no mesmo dia (10 e Fevereiro) em Alcanena, que no total destruíram perto de dois hectares de vegetação e que provocaram 1.240 euros de prejuízo. Até agora há a registar um caso de fogo posto, no dia 13 de Janeiro, em Salvaterra de Magos. Arderam 0,2 hectares que provocaram prejuízos que não foram avaliados. Nesta ocorrência foi possível identificar o autor, constituído arguido. Os outros nove identificados são suspeitos de terem ateado fogos em Sardoal (dois suspeitos de casos em 10 e 19 de Janeiro), Torres Novas, Rio Maior, Ourém, Alcanena, Chamusca, Almeirim e Ferreira do Zêzere. Destes, veio a confirmar-se que cinco provocaram incêndios devido ao descontrole de queimadas que estavam a fazer na altura em Rio Maior, Ourém, Alcanena, Chamusca e Ferreira do Zêzere. Há ainda uma ocorrência na sequência de uma fogueira, mas neste caso não foi possível identificar o seu autor. Em termos de área ardida o pior foi o de dia 28 de Fevereiro na Golegã, onde arderam 20 hectares. Em Santarém, num incêndio ocorrido no dia 3 de Fevereiro, as chamas consumiram 10 hectares. Destaque ainda para os três hectares queimados na zona de Rio Maior no dia 21 de Fevereiro. No total arderam em dois meses 67,5441 hectares de mato e floresta no distrito de Santarém.

Comentários

Mais Notícias

    A carregar...