uma parceria com o Jornal Expresso

Edição Diária >

Edição Semanal >

Assine O Mirante e receba o jornal em casa
30 anos do jornal o Mirante

Novo tarifário desagrada a comerciantes do Entroncamento

Edição de 23.03.2005 | Sociedade
A Câmara Municipal do Entroncamento procedeu à actualização do tarifário de ocupação de via pública com toldos, esplanadas ou outros objectos, bem como a publicidade estampada nos carros. Mas os comerciantes não gostaram e as reclamações começaram a surgir, já que em alguns casos os aumentos são superiores a 500 por cento.O vereador João Fanha (PSD) diz que até ao momento não recebeu nenhuma reclamação de comerciantes sobre o preço a pagar este ano pela área ocupada por esplanadas. E que, quanto aos toldos, apenas lhe chegou ao conhecimento meia dúzia de casos. “Falei com as pessoas uma a uma e expliquei-lhes a situação e o facto é que perceberam, embora tivessem sugerido que seria preferível fazer actualizações graduais”, disse o autarca a O MIRANTE.No entanto, nem todos os comerciantes aceitaram com tão bom grado os novos preços. O proprietário da Marisqueira Avenida, na avenida da Estação, resolveu o assunto retirando o toldo e protegendo as janelas com estores interiores. É que a actualização de 2002 para 2004, pagável até 31 de Janeiro do ano em curso, passou de 31,75 euros para 167,73, um aumento de quase 530 por cento.“Eu concordava que as taxas fossem aumentadas, mas assim não. Foi isso que tentei fazer ver, embora de nada me valesse. Então resolvi a situação, tirei o toldo”, afirma.As esplanadas vão também sofrer aumentos consideráveis. Porém, será pouco provável que os comerciantes deixem de instalar as mesas e os chapéus por não concordarem com o novo tarifário. “Vou pôr uns chapéus, porque terei de pôr as mesas lá fora. Não posso servir os clientes na rua sem local para se sentarem”, continua o mesmo proprietário.Os responsáveis autárquicos contrapõem os argumentos com o facto de durante vários anos as tabelas não terem sido mexidas e “ninguém reclamou”. Esclarecem ainda que os estabelecimentos que abriram em 2004 já foram taxados segundo o novo tarifário. “Este ano actualizámos os restantes”, explica João Fanha, adiantado que tiveram “todo o cuidado” em actualizarem as taxas de acordo com o valor médio praticado nos concelhos vizinhos.A título de exemplo refira-se que o metro quadrado de toldos, sanefas ou semelhantes não integrados nos edifícios custa 10 euros em Torres Novas, 6,83 em Alcanena e 7,78 em Tomar. No Entroncamento os comerciantes começaram a pagar 8,50 euros.As esplanadas passam a pagar 2,50 euros por metro quadrado, para este efeito foram consultados os concelhos de Alcanena, Abrantes e Tomar.“Exigem-nos tudo e o facto é que tenho muito menos dinheiro agora do que quando tomei de trespasse este estabelecimento”, continua o dono da Avenida. Entre as várias queixas, este profissional da restauração destaca a exigência de construção de uma terceira casa-de-banho e de um vestiário, nos cafés, restaurantes, cervejarias ou marisqueiras. “Como é que pode ser? Nos centros comerciais os mesmos sanitários servem para muitas lojas. Nós que estamos fora desses espaços temos de ter três casas de banho”, concluiu.Margarida Trincão

Comentários

Mais Notícias

    A carregar...