uma parceria com o Jornal Expresso

Edição Diária >

Edição Semanal >

Assine O Mirante e receba o jornal em casa
30 anos do jornal o Mirante
Vila Franca reclama abolição de portagens

Vila Franca reclama abolição de portagens

Câmara vai pedir explicações ao novo governo
Edição de 23.03.2005 | Sociedade
A abolição das portagens pagas pelos utentes na CREL e no troço da Auto-estrada do Norte (A 1) entre Alverca e Vila Franca está de novo na ordem do dia. Em Dezembro de 2002, o governo PSD reintroduziu as portagens na CREL. Com o regresso do governo socialista renasce a esperança dos eleitos locais.A Câmara de Vila Franca de Xira aprovou uma declaração onde pede esclarecimentos ao novo Governo sobre as suas intenções. A proposta apresentada por Rui Rei (PSD), na última reunião pública do executivo, a 16 de Março, foi aprovada com oito votos a favor e a abstenção do vereador Alberto Mesquita (PS) que não concordou com o cariz partidário de um dos parágrafos.A presidente da câmara também associou a apresentação neste momento ao facto do governo ser agora do PS. Maria da Luz Rosinha (PS) colocou o documento em debate e a discussão prolongou-se. Alves Machado, vereador da CDU, concordou com o espírito da proposta porque a A1 é a variante natural à EN 10 que está cada vez mais saturada. O autarca comunista reafirmou a necessidade da desclassificação deste troço da A1, a introdução de novos nós de acesso nos Caniços e no Sobralinho e a construção do nó II a Sul de Vila Franca onde já existe uma entrada para quem viaja para Norte.O vereador do urbanismo, Ramiro Matos referiu que a A 10 chegou a ser apresentada como uma alternativa à A 1, “mas não o é”. A auto-estrada atravessa o concelho de Vila Franca, mas não o serve localmente. “A A10 não tem saídas, nem entradas, na área do nosso município”, lamentou.Rui Rei (PSD) frisou na proposta que o troço da A 1 entre Alverca e Vila Franca “não tem qualidade, não oferece segurança, nem comodidade e rapidez e, por isso, não deveria ser pago”. A proposta adoptada pela câmara defende a criação de uma comissão multipartidária de acompanhamento deste processo e a marcação de uma reunião da nova comissão com o Governo. O documento sugere ainda uma reunião da Junta Metropolitana de Lisboa para discutir a abolição das portagens e a avaliação dos problemas de mobilidade na Área Metropolitana de Lisboa.A presidente da câmara, Maria da Luz Rosinha (PS), que é também presidente da Junta Metropolitana de Lisboa, mostrou abertura para as iniciativas propostas mas defendeu que devem acontecer depois de uma primeira reunião com os novos governantes.
Vila Franca reclama abolição de portagens

Comentários

Mais Notícias

    A carregar...