uma parceria com o Jornal Expresso

Edição Diária >

Edição Semanal >

Assine O Mirante e receba o jornal em casa
30 anos do jornal o Mirante

Coração traiu provedor da Misericórdia de Benavente

Faleceu o Comendador António Luís Vicente

O coração do provedor da Misericórdia de Benavente parou depois de mais um dia dedicado à instituição. António Luís Vicente não conseguiu concretizar o projecto de colocar a funcionar o bloco operatório.

Edição de 01.03.2006 | Sociedade
Morreu o provedor da Santa Casa da Misericórdia de Bena-vente. António Luís Vicente sofreu uma paragem cardíaca na noite de quinta-feira, 23 de Fevereiro, em casa de um irmão em Benavente e acabou por falecer. Os socorristas dos bombeiros e a equipa médica do INEM ainda tentaram a reanimação, mas em vão. O funeral realizou-se na tarde de sábado em Alcoentre.António Luís Vicente, 71 anos, é um ilustre filho de Benavente que foi adoptado por Alcoentre, no concelho de Azambuja, onde foi dirigente associativo e deputado municipal. O líder dos quase 400 irmãos inscritos na Misericórdia geria milhões em regime de voluntariado numa missão que esperava concluir em breve.O comendador fez carreira longe da terra e depois de 40 anos de serviço público, onde atingiu o topo como sub director dos serviços prisionais, voltou às origens.António Luís Vicente é filho do proprietário de três cafés que ficaram na história da vila. Aos 15 anos acabou o curso liceal de guarda-livros, mas acreditou que podia ir mais longe e mais tarde licenciou-se em Direito na Faculdade Clássica. Trabalhou durante sete anos no Cartório Notarial e na Conservatória do Registo Predial de Benavente. Foi técnico-adjunto de Economia no Grémio dos Industriais de Arroz em Lisboa de onde saiu para cumprir serviço militar. Como oficial foi instrutor na Escola Prática de Cavalaria em Santarém. O Capitão Vicente foi chamado para uma missão em Angola onde integrou um batalhão, comandou uma missão numa casa de reclusão em Angola e foi delegado do ministro do Exército junto dos estabelecimentos prisionais. No regresso a Portugal foi director dos estabelecimentos prisionais de Alcoentre e Pinheiro da Cruz e terminou a carreira como sub director dos serviços prisionais, cargo que ocupou durante seis anos.Em 1995, foi agraciado com o grau de comendador da Ordem Militar de Cristo pelo Presidente da República, Mário Soares. Antes já tinha sido reconhecido publicamente por proposta do ministro da Justiça aprovada por Cavaco Silva.António Luís Vicente era católico, apostólico romano e guardava no bolso do casaco o crucifixo com a imagem de Jesus que recebeu no final do curso de cristandade que fez há 38 anos em Évora. O provedor integrava o Movimento dos Curcilhos de Cristandade que acredita que Cristo está de braços abertos para abraçar os irmãos.António Luís Vicente morreu sem concretizar vários desejos. Por exemplo não conseguiu deixar a funcionar o bloco operatório em Benavente e concluir o projecto imobiliário dos Camarinhais. Nelson Silva Lopes

Comentários

Mais Notícias

    A carregar...