uma parceria com o Jornal Expresso

Edição Diária >

Edição Semanal >

Assine O Mirante e receba o jornal em casa
31 anos do jornal o Mirante

Trabalhos a mais pesam na factura

Rede de saneamento básico da Ribeira mais cara que o previsto
Edição de 01.03.2006 | Sociedade
A empreitada de saneamento básico na Ribeira de Santarém custou aos cofres da Câmara de Santarém mais 168.480 euros, - 13 por cento a mais do que o orçamento inicialmente previsto. O encargo suplementar deveu-se a ajustes ao projecto que foi necessário efectuar e à reparação de danos causados pelos trabalhos na via pública e a particulares.Entre as obras efectuadas estão a execução ou renovação de drenagens pluviais e de pavimentos, a construção de lancis, a criação de sumidouros e a reconstrução de um muro. A lista dos trabalhos a mais foi apresentada na última reunião do executivo camarário. Na altura, o presidente da Junta de Freguesia de Santa Iria da Ribeira, Vítor Gaspar (CDU), disse que alguns problemas causados por erros do projecto ainda não estão resolvidos. Como na rua do Pocinho, onde, sempre que chove com mais intensidade, a água invade os pisos térreos das casas devido ao deficiente escoamento.O autarca da Ribeira sugeriu ainda que a câmara deve fazer uma fiscalização rigorosa do estado em que ficaram os pavimentos dos arruamentos após a instalação da rede de saneamento, já que alguns apresentam depressões e caixas de esgotos salientes. O que pode causar danos nos automóveis. “As irregularidades na Estrada da Estação mostram a forma como a pavimentação foi feita”, criticou Vítor Gaspar, acrescentando que na sua opinião as empresas que ali intervieram devem resolver essas situações.O presidente da Junta da Ribeira aproveitou ainda para entregar ao presidente da câmara, Moita Flores (PSD), cópias de todos os ofícios enviados no mandato anterior ao presidente do município da altura, Rui Barreiro. Ofícios onde Vítor Gaspar chamava a atenção para algumas dessas questões durante os três anos que duraram as obras.O vereador o PS Manuel Afonso, que no anterior mandato foi o responsável pelo pelouro das obras, considerou natural que após este tipo de obras se registem assentamentos dos pavimentos. “É necessário que os serviços da câmara estejam atentos e notifiquem a empresa para os corrigir”, declarou.

Comentários

Mais Notícias

    A carregar...