uma parceria com o Jornal Expresso

Edição Diária >

Edição Semanal >

Assine O Mirante e receba o jornal em casa
30 anos do jornal o Mirante

Investir na inovação

Artur Saraiva tem nova estação de serviço em Porto Alto

O grupo Artur Saraiva comemorou 24 anos com a inauguração de uma estação de serviço em Porto Alto de um inovador equipamento para destruição de arquivos.

Edição de 08.03.2006 | Economia
Um equipamento móvel para destruição de arquivos em empresas, autarquias e serviços da administração central foi apresentado no dia 1 de Março na inauguração da nova estação de serviço Artur Saraiva na EN 118 em Porto Alto.A estação equipada com a mais moderna tecnologia para lavagem e assistência técnica de camiões e viaturas ligeiras foi a prenda de anos no dia em que a empresa comemorou 24 anos. Entre dezenas de convidados, estiveram empresários, autarcas, representantes da banca e forças vivas da região.O investimento da Artur Saraiva Lda. rondou os 530 mil euros e a estação está preparada para serviços de lavagem, mudanças de óleo, montagem e calibragem de pneus, alinhamento de direcção e de faróis e revisões de viaturas. No exterior é possível lavar, aspirar e perfumar o carro com recurso a moedas e num sistema de auto-serviço. A novidade é uma máquina para lavagem de cães em que o animal é colocado num tabuleiro confortável e lavado com água quente lançada por um chuveiro.O presidente da Câmara Municipal de Benavente, António José Ganhão apadrinhou a inauguração e no seu discurso elogiou a coragem e a determinação do empresário Artur Saraiva, que foi seu aluno no liceu e adversário político durante oito anos. “Espero que consiga os seus objectivos. Artur Saraiva já revelou ter qualidade no trabalho, no pensar e no inovar”, disse.O autarca frisou a aposta que a empresa A S Ambiente vai fazer na conquista do mercado espanhol com o lançamento do equipamento de destruição de arquivos. Uma demonstração feita no local evidenciou a capacidade de transformar em poucos minutos os tradicionais arquivos em pedaços de papel aproveitados para a produção de nova matéria-prima, separando as componentes metálicas. O equipamento é alimentado por um gerador e desloca-se num camião. Cada unidade custa 106 mil euros e o objectivo da A S Ambiente é ter 20 unidades móveis em Portugal para garantir a cobertura do país. A empresa assegura as zonas Centro e Sul e vai procurar parceiros para explorarem o Norte de Portugal e a Estremadura espanhola.“É um serviço com tecnologia alemã e pioneiro em Portugal. Queremos levá-lo a Espanha onde há ainda uma cobertura muito reduzida”, disse.O “destruidor de arquivos” foi inaugurado pelo presidente da Associação Empresarial de Santarém (Nersant). José Eduardo Carvalho aplaudiu a iniciativa do empresário Artur Saraiva que “num momento difícil para o seu sector de actividade (transportes nacionais e internacionais) não se entregou à má sorte e investiu noutras áreas”. O líder dos empresários ribatejanos frisou que “é de enaltecer a coragem deste empresário”.Dirigente empresarial e presidente da câmara aproveitaram a presença de vários representantes de entidades bancárias para criticarem a postura do sector que “espreme ao máximo os empresários “ e não apoia o desenvolvimento empresarial. António Ganhão sugeriu que os bancos sigam o exemplo espanhol e invistam na investigação para apoiar a internacionalização das empresas portuguesas. “Devíamos ter na banca um parceiro privilegiado”, disse o edil de Benavente.

Comentários

Mais Notícias

    A carregar...