uma parceria com o Jornal Expresso

Edição Diária >

Edição Semanal >

Assine O Mirante e receba o jornal em casa
30 anos do jornal o Mirante

Escola sem dinheiro para manutenção

Ruptura nas canalizações da EB 2/3 de Pontével esteve três semanas para ser reparada
Edição de 08.03.2006 | Sociedade
Uma ruptura nas canalizações que abastecem os sanitários e refeitório da Escola EB 2/3 de Pontével foi detectada em 10 de Fevereiro e só a semana passada foi estancada.Durante quase um mês muita água foi vertida no interior da escola. Segundo explica o presidente do conselho executivo da escola, alguns alunos “entretiveram-se” a provocar danos nas electroválvulas do sistema de aspersão e também arrancaram o manípulo da torneira de segurança.Luís Lourenço refere que a escola possui um orçamento escasso para o seu funcionamento, não chegando para cobrir despesas de manutenção e outros percalços que vão surgindo. Apesar disso, na quinta-feira passada um canalizador conseguiu estancar a fuga de água.“As verbas do Ministério da Educação não chegam à hora desejada mas a Câmara do Cartaxo, sem competência na matéria, fez o favor de efectuar uma vistoria a 13 de Fevereiro para diagnosticar o problema”, salienta Luís Lourenço. O presidente do conselho executivo da escola confirma que a destruição do equipamento resulta de actos de vandalismo efectuados por alunos, que não estão identificados.O MIRANTE contactou a DREL, via fax, para obter mais esclarecimentos acerca das suas responsabilidades mas não obteve qualquer resposta até ao fecho desta edição. A Escola EB 2/3 de Pontével vai completar dez anos de existência em 2007. Apesar de ser relativamente recente, o estabelecimento de ensino tem vindo a registar uma série de problemas de degradação crescente.Em duas ocasiões registou-se o entupimento da conduta de abastecimento de água a várias zonas do estabelecimento, devido à má utilização dos sanitários pelos alunos. Houve ainda episódios de sanitários partidos. Segundo Luís Lourenço, há ainda a registar situações em que os tectos e placas de mármore caíram inteiros. Tudo devido à degradação natural dos equipamentos, à sua má utilização pelos alunos mas também por causa de alguma má construção do estabelecimento de ensino que, desde início, apresentou vários defeitos.

Comentários

Mais Notícias

    A carregar...