uma parceria com o Jornal Expresso

Edição Diária >

Edição Semanal >

Assine O Mirante e receba o jornal em casa
30 anos do jornal o Mirante

Sonho terminou ao fim de oito anos

Abascentro não consegue concretizar mercado abastecedor em Tomar e vende terreno à câmara

Ao fim de oito anos de tentativas para construir um grande mercado abastecedor, os sócios da Abascentro acabaram por vender o terreno à Câmara de Tomar na expectativa de que seja agora esta a pegar no projecto.

Edição de 08.03.2006 | Sociedade
Há oito anos trinta comerciantes de frutas e legumes gastaram cerca de 200 mil euros na compra de um terreno de 20 hectares na zona industrial de Tomar para ali construir um mercado abastecedor. Um sonho que acabou por não se realizar devido à falta de apoios comunitários.Sem possibilidades financeiras para avançar com o projecto, os comerciantes, agrupados na empresa Abascentro, decidiram na assembleia geral de 10 de Fevereiro vender o terreno à Câmara de Tomar, por 370 mil euros.Os comerciantes esperam agora que seja o município a avançar com o sonho que não conseguiram concretizar. Embora em moldes diferentes.O município está disposto a fazer a obra. Ou melhor, quer fazê-la, uma vez que o actual mercado abastecedor terá de ser transferido do actual local, na margem esquerda do Flecheiro, devido à requalificação daquela zona, no âmbito do Programa Polis.O presidente da autarquia, António Paiva (PSD), sempre considerou megalómano o projecto da Abascentro. E deu disso conhecimento aos comerciantes, disponibilizando-se para dar apoio na reformulação do projecto, o que acabou por acontecer.Mesmo passando o investimento de cinco para um milhão de contos, o projecto acabou por não ser comparticipado, nem no II nem no III Quadro Comunitário de Apoio. E a câmara não se mostrou interessada em assumir ela própria o custo.Em declarações ao nosso jornal, em Abril de 2004, António Paiva afirmava que a autarquia não tinha dinheiro para ser ela a avançar com o investimento. Mas a requalificação do Flecheiro estava ainda longe.Hoje, com o Programa Polis pronto para avançar no local, o município decidiu substituir-se à Abascentro. Mas apesar de lhe ter adquirido o terreno na zona industrial por 370 mil euros não irá construir a nova estrutura no local.A câmara está actualmente em negociações com o proprietário dos terrenos situados junto ao horto municipal, na zona de Marmelais, para ali construir um espaço polivalente, que venha a albergar os três mercados diferenciados que actualmente se realizam no Flecheiro.De acordo com o projecto municipal, o espaço irá ter uma estrutura interior, onde serão colocadas as bancas para o mercado de carne, peixe, frutas e legumes e uma zona exterior, onde ficará situado o mercado retalhista de venda ambulante, que se realiza às sextas-feiras.É no espaço interior que os produtores e revendedores de frutas e legumes vão poder também fazer o seu negócio.Aos comerciantes da Abascentro não interessa onde vai ser feito o mercado. Desde que venham a ter melhores condições que as actuais, ao ar livre, condicionados às questões climatéricas.Ao fim de oito anos, o sonho de construção de um grande mercado abastecedor em Tomar terminou. Os comerciantes, que dizem ter feito com a câmara um negócio “bom para ambas as partes”, passam agora a batata quente para o lado do município.Margarida Cabeleira

Comentários

Mais Notícias

    A carregar...