uma parceria com o Jornal Expresso

Edição Diária >

Edição Semanal >

Assine O Mirante e receba o jornal em casa
30 anos do jornal o Mirante

Iolanda Gomes

Estudante de psico pedagogia, 25 anos, Vila Nova da Rainha - Azambuja

“Há variadíssimas formas de ensinar matemática e aquela que os professores arranjam talvez não seja a melhor. Poderiam recorrer, por exemplo, a alguns jogos.”

Edição de 22.03.2006 | Agora falo eu
Que emprego gostaria de ter?Gostava de ir para um hospital trabalhar com crianças em risco. No estágio estou a aprender a trabalhar as competências sociais. Há muito a fazer nesta área. São crianças retiradas a famílias com problemas. São crianças que vivem no vazio… Agora que estamos a afeiçoar-nos a elas é que temos de nos vir embora.Qual é a diferença entre psico pedagogia e psicologia?É a abordagem. Os psicólogos utilizam a técnica psicológica. Trabalham com o inconsciente. Nós trabalhamos mais com o consciente. Um passado não tão profundo, mais recente. Quais são as suas preocupações ambientais?Tento não utilizar muito o carro e reciclo. Na minha freguesia não há muitos eco-pontos, mas pelo menos consigo reunir o papel para reciclagem.Alguma vez foi multada?Sim. Foi há quatro anos. Não parei ao sinal Stop. Só olhei para o lado esquerdo. O carro da polícia estava do lado direito. Abrandei, mas não cheguei a imobilizar o carro como deveria. Tive que pagar uma multa de 125 euros e fiquei sem poder conduzir durante seis meses. Porque é que os jovens não gostam da matemática?Se calhar por causa da forma como ela é dada. Há variadíssimas formas de ensinar matemática e aquela que os professores arranjam talvez não seja a melhor. No início os miúdos não conseguem interiorizar bem as fórmulas. Poderiam recorrer, por exemplo, a alguns jogos.Que tipo de transporte costuma utilizar?Quando vou para a universidade, em Lisboa, apanho o comboio, autocarro, metro, eléctrico e ainda ando um bocadinho a pé. Para o estágio, em Alverca, sou obrigada a levar o carro porque o meu horário prolonga-se até à noite.Qual foi o último concerto a que assistiu?Foi na semana académica de Lisboa, no Parque da Bela Vista. Ouvi os Xutos e Pontapés, Fingertips e Da Weasel. Mas o espírito académico está a acabar. Vejo sobretudo pelos caloiros da minha universidade. Organizámos muitas festas que tiveram pouca adesão.O que faz quando alguém lhe tira a visibilidade no cinema?É um bocado chato, mas normalmente não chamo a atenção. Tento adaptar-me. Como sou alta provavelmente eu é que tiro a visibilidade a muitas pessoas (risos)…Qual é o seu livro de cabeceira?Tenho estado a aprofundar a área da auto-estima no curso e comecei a ler um manual sobre o tema. Nas férias aproveitei para ler alguns livros sobre drogas e toxicodependências. É um tema que me interessa e que também está relacionado com a minha área.Qual foi o último filme que viu?“Máquina Zero”. Costumava ir ao Vasco da Gama, mas desde que abriu cinema na Azambuja que fico por aqui. Acho que o Centro Comercial Atrium Azambuja deveria apostar em mais uma sala. Se o espectador se atrasa já não apanha bilhetes. As sessões estão quase sempre esgotadas.Que país gostaria de conhecer?Cabo-verde. Já vi documentários sobre a Ilha do Sal e tenho uma vontade enorme de a conhecer. Este ano como finalizo o curso tenho esperança de que os meus pais me dêem uma ajuda. Vamos ver… Faltam quatro meses. Mas não gostava de ir sozinha, queria levar alguns amigos.O que leva na mala de viagem?Levo o básico. De vez em quando ponho-a às costas e vou até Espanha. Uma viagem até ao país vizinho sai mais barato que uma estada no Algarve.

Comentários

Mais Notícias

    A carregar...