uma parceria com o Jornal Expresso

Edição Diária >

Edição Semanal >

Assine O Mirante e receba o jornal em casa
30 anos do jornal o Mirante
Bomba de gasolina assaltada à mão armada

Bomba de gasolina assaltada à mão armada

Ladrões levaram o dinheiro e agrediram o gerente
Edição de 22.03.2006 | Sociedade
Três homens de etnia cigana, um deles armado com uma pistola, assaltaram na noite de sábado para domingo a bomba de gasolina da Galp, localizada na Estrada Nacional 1, em Povos, Vila Franca de Xira. Os homens levaram todo o dinheiro que estava na caixa registadora e na posse do gerente, que foi agredido com uma coronhada.Os ladrões, que se transportavam num Alfa Romeo, entraram no posto passavam cerca de 15 minutos das 00h00, de 19 de Março. Em vez de pararem junto às bombas de abastecimento, colocaram o veículo na zona de saída. Três homens saíram do carro e um quarto elemento do grupo ficou ao volante, pronto para arrancar.“Deixaram as portas abertas e dirigiram-se à loja. Tive logo o pressentimento que ia ser assaltado”, conta Carlos Santos, gerente do posto de abastecimento de combustível Parovela. Dentro da loja estava um amigo do gerente que os assaltantes não terão visto quando ali chegaram.Os três gatunos, enquanto se aproximavam do gasolineiro, perguntaram-lhe qual o caminho para Santarém, “porque estavam perdidos”. Depois, um deles, empunhando uma pistola, empurrou Carlos Santos para dentro da loja e exigiu todo o dinheiro. Sem reagir, o gerente entregou de imediato o dinheiro que tinha no bolso, mas os meliantes não ficaram satisfeitos. Sempre com agressividade, um dos ladrões mandou abrir a caixa registadora e retirou o dinheiro que estava dentro, enquanto outro revistava Carlos Santos, procurando mais dinheiro.“O que me revistou retirou-me o telemóvel que tinha no bolso das calças. Quando saíram disse-lhes para me deixarem o telemóvel e, como resposta, levei uma coronhada na cabeça”, diz.Os assaltantes fizeram inversão de marcha no local e fugiram em direcção à A1. A Policia Judiciária esteve no local a recolher vestígios para investigação.Este foi o segundo assalto sofrido no espaço de três meses. “Em Dezembro, fui assaltado por um homem encapuzado, que fugiu a pé”, recorda Carlos Santos que, na manhã da passada segunda feira não tinha ainda contabilizado o montante levado pelos gatunos.José Bernardes
Bomba de gasolina assaltada à mão armada

Comentários

Mais Notícias

    A carregar...