uma parceria com o Jornal Expresso

Edição Diária >

Edição Semanal >

Assine O Mirante e receba o jornal em casa
30 anos do jornal o Mirante
Suspeita de homicídio em Vila Franca

Suspeita de homicídio em Vila Franca

Ucraniano morre carbonizado nas antigas instalações da Guarda-Fiscal

Um sem abrigo de 39 anos morreu carbonizado na madrugada de sexta-feira nas antigas instalações da Guarda-Fiscal em Vila Franca. As autoridades suspeitam de fogo posto.

Edição de 22.03.2006 | Sociedade
A Policia Judiciária está a investigar as circunstâncias em que deflagrou um incêndio no antigo posto da Guarda-Fiscal, em Vila Franca de Xira, na madrugada do dia 17 de Março, que resultou na morte de Orest Panochko, um cidadão ucraniano, de 39 anos, que ficou carbonizado. Além da vítima mortal, outros dois imigrantes do Leste sofreram queimaduras em várias partes do corpo. As autoridades suspeitam que o fogo tenha sido ateado por mão criminosa.O incêndio deflagrou por volta das três horas da madrugada, numa altura em que se encontravam a dormir quatro ucranianos, um moldavo e um cidadão português, que ocupavam as antigas instalações desactivadas, compostas de quatro pequenas divisões, junto à fábrica de descasque de arroz, em Vila Franca de Xira.O incêndio começou num dos quartos e rapidamente alastrou aos restantes e ao telhado. António Mareco estava a dormir e acordou com o barulho dos outros homens. “Quando abri a porta isto estava em chamas, o meu quarto ficou cheio de fumo. Tive de rastejar e sair por uma janela para o lado da fábrica”, conta o cidadão português, que não sabe explicar o que provocou o incêndio.“Eles respeitavam-me, apenas diziam bom dia ou boa tarde. Estavam sempre perdidos de bêbados. Não tinha convivência com eles, nem percebia o que diziam”, explica António Mareco, referindo que os imigrantes “discutiam muitas vezes entre eles e brigavam”.Ao que tudo indica Orest Panochko, estaria embriagado quando o incêndio deflagrou e não terá tido forças para fugir. Os dois feridos com queimaduras, foram assistidos no hospital de Vila Franca de Xira e tiveram alta horas depois.O incêndio foi combatido pelos bombeiros voluntários de Vila Franca de Xira, com 13 homens e cinco viaturas. Os bombeiros tiveram de arrombar um dos portões da fábrica de arroz, para conseguirem atacar o sinistro.A PJ está “a investigar o incidente”, mas ao que conseguimos apurar, há suspeitas de o fogo ter sido ateado com combustível.Até à hora do fecho desta edição, não nos foi possível confirmar se a PJ já fez detenções relacionadas com este caso, devido à greve verificada na directoria de Lisboa na terça- feira.Há algum tempo que os imigrantes do Leste ocupavam três divisões do antigo posto da Guarda-Fiscal. Sem trabalho, dedicavam-se à mendicidade e a fazer pequenos trabalhos para feirantes. São vistos frequentemente na zona do cais de Vila Franca e a deambular pelas ruas, sendo notório o seu estado de embriaguez constante.José Bernardes
Suspeita de homicídio em Vila Franca

Comentários

Mais Notícias

    A carregar...