uma parceria com o Jornal Expresso

Edição Diária >

Edição Semanal >

Assine O Mirante e receba o jornal em casa
30 anos do jornal o Mirante

Águia moribunda desperta fantasma da gripe das aves

Autoridades chegaram a Vila Franca várias horas depois do alerta

Uma águia em estado de agonia despertou o fantasma da gripe das aves em Vila Franca de Xira. Depois de uma longa espera, o primeiro diagnóstico feito no local não confirmou a doença.

Edição de 29.03.2006 | Sociedade
Uma águia foi encontrada moribunda, na passada sexta-feira, 24 de Março, debaixo da ponte de Vila Franca de Xira e despertou o fantasma da gripe das aves. Depois de algumas horas a aguardar pela chegada das autoridades debaixo de uma grade, a águia acabou por morrer após ter sido recolhida pelo Instituto da Conservação da Natureza (ICN). De acordo com um dos vigilantes da natureza da Reserva Natural do Estuário do Tejo que acompanhou o caso, João Correia, “suspeita-se que tenha sido envenenamento, pela atitude dela quando a encontrámos”. Afastando a hipótese de ser gripe das aves, o vigilante da natureza refere que a verdadeira causa só deverá, no entanto, ser conhecida dentro de dois meses, depois das análises e autópsia levados a cabo pelo Laboratório Nacional de Investigação Veterinária (LNIV).João Correia explica a morosidade do processo pelo facto de serem muitas as solicitações para o LNIV, sobretudo devido à gripe das aves. A águia foi analisada logo no local por um veterinário e técnico agrícola dos Serviços Regionais de Veterinária da Direcção Regional de Agricultura do Ribatejo e Oeste, de acordo com os procedimentos, que, depois de uma breve observação, entregaram a ave à responsabilidade da reserva pra que fosse levada para um centro de recuperação. Na altura, o técnico agrícola, Carlos Nunes, afastou igualmente a hipótese de gripe das aves, uma vez que “os sintomas não correspondem à gripe das aves”. José Trindade foi quem encontrou a águia, por volta das 11 horas, nos terrenos junto à barraca onde habita debaixo da ponte. Segundo explicou, perto das 11h30 telefonou para a esquadra da Polícia de Segurança Pública de Vila Franca de Xira, mas às 15 horas ainda não tinha aparecido ninguém. Lamentando a demora na resposta, referiu que voltou a contactar a PSP, que desta vez lhe indicou a Direcção Regional de Agricultura do Ribatejo e Oeste, entidade para a qual José Trindade ligou depois. Foi já depois das 16h30 que os Serviços Regionais de Veterinária da Direcção Regional de Agricultura do Ribatejo e Oeste e os vigilantes da natureza apareceram no local.Contactada por O MIRANTE fonte da PSP de Vila Franca explicou que depois de terem recebido o telefonema a alertar para a existência de uma águia moribunda, contactaram o Serviço de Protecção da Natureza e do Ambiente (SEPNA) da GNR. De acordo com fonte deste serviço, uma patrulha foi ao local já depois da recolha do animal. Como explicou, a deslocação ao local não foi imediata por esta situação não se enquadrar no âmbito de acção do SEPNA, que actua apenas quando existem aves mortas na via pública.Sara Cardoso

Comentários

Mais Notícias

    A carregar...