uma parceria com o Jornal Expresso

Edição Diária >

Edição Semanal >

Assine O Mirante e receba o jornal em casa
30 anos do jornal o Mirante
Obra nova já com queixas

Obra nova já com queixas

Novo acesso que liga Ferreira do Zêzere ao nó do IC3 junto a Tomar foi inaugurado terça-feira

A variante entre o nó de acesso ao IC3 em Tomar e Ferreira do Zêzere foi inaugurada terça-feira mas já está envolta em polémica.

Edição de 05.04.2006 | Sociedade
Três dias antes da inauguração oficial da variante à Estrada Nacional (EN) 238, entre o nó de Tomar do Itinerário Complementar (IC) 3 e Ferreira do Zêzere, foi entregue na assembleia da Comunidade Urbana do Médio Tejo uma moção, subscrita pelos deputados independentes, onde são descritos vários defeitos da nova via rápida.Os subscritores alertam mesmo para o perigo da ocorrência de “graves acidentes” se não se reverem algumas situações, particularmente a existente junto à ligação ao IC3. Ali, os automobilistas são confrontados com outros automóveis que vêm da estrada antiga (EN 238).“No final de uma recta com mais de dois quilómetros, as viaturas que circulam na via rápida vindas de Ferreira do Zêzere vão encontrar veículos que, querendo dirigir-se para as localidades situadas ao longo da Nacional 238, têm de cruzar a variante. Na moção, aprovada por unanimidade, os independentes solicitam que seja feito o alerta desta situação à Estradas de Portugal, dona da obra, exigindo-lhe que encontre soluções ajustadas antes da abertura da via, para evitar o risco de acidentes graves.Esta última exigência já vem no entanto tarde uma vez que a via foi inaugurada três dias após a aprovação da moção. No dia da abertura oficial da via, O MIRANTE questionou a Direcção de Estradas de Santarém sobre esta situação mas o director do organismo, Alcindo Cordeiro, afirmou desconhecer totalmente a situação. “É a primeira vez que estou a ouvir falar de problemas na nova variante”, disse, salientando que a dona da obra é a Estradas de Portugal e tem de ser ela a fazer a respectiva fiscalização.Obra peca por tardiaA variante à EN238 é uma aspiração antiga da Câmara de Ferreira do Zêzere e, na opinião do presidente do município, “só peca por tardia”. Luís Pereira (PSD) lembrou que as dezenas de curvas que separam a sede de concelho e o IC3, na zona de Alviobeira (Tomar), constituíam “entraves ao desenvolvimento” do seu município, que recentemente inaugurou até uma zona industrial para “captar” investimento.Os nove quilómetros entre Alviobeira e Ferreira do Zêzere, que pela EN 238 eram percorridos em cerca de quinze/vinte minutos, passam agora a ser feitos em metade do tempo. A empreitada da variante foi adjudicada à Lena Engenharia e Construções e o seu custo rondou os 16 milhões de euros, tendo sido também executadas três ligações à rede viária já existente.
Obra nova já com queixas

Comentários

Mais Notícias

    A carregar...