uma parceria com o Jornal Expresso

Edição Diária >

Edição Semanal >

Assine O Mirante e receba o jornal em casa
30 anos do jornal o Mirante

Realojamento depende do tribunal

Câmara de Torres Novas compra imóvel para realojar família carenciada de Pedrógão
Edição de 05.04.2006 | Sociedade
A Câmara Municipal de Torres Novas aprovou a compra de um imóvel à Junta de Freguesia de Pedrógão, no valor de 35 mil euros, que servirá para acolher uma idosa de 83 anos e o filho de 43, há vários anos a viver em condições de extrema pobreza no Casal João Dias, freguesia de Pedrógão. No entanto, o realojamento está dependente da avaliação do Ministério Público, que se encontra a estudar a situação e deverá decidir sobre a necessidade de acompanhamento psiquiátrico do casal e da viabilidade do seu internamento compulsivo.Como foi noticiado por O MIRANTE, na edição de 8 de Março, Maria Alice Governo e o filho sofrem de perturbações mentais e recusam-se a aceitar qualquer tipo de ajuda. A solução para o problema passaria, segundo as entidades competentes, pelo internamento compulsivo do casal, que defendem não estar em condições de tomar qualquer decisão sobre o assunto. Recorde-se que Maria Alice e o filho vivem numa casa degradada e sem quaisquer condições de salubridade. A residência não tem sequer casa de banho e o lixo amontoa-se livremente por todas as divisões.Pedro Ferreira (PS), vice-presidente do município, disse em reunião de câmara que apesar das dificuldades financeiras da autarquia, dada a gravidade da situação, torna-se urgente intervir e “arranjar um sítio condigno para receber o casal depois de passar por um processo de saúde”. O imóvel deverá ser adquirido com o apoio do Instituto de Gestão e Administração Pública (IGAP) e a Junta de Freguesia de Pedrógão já se mostrou disponível para que a câmara pague o edifício a prestações.Segundo Pedro Ferreira, o imóvel, que “precisa apenas de alguns retoques”, irá funcionar como Centro de Acolhimento Temporário, pelo que poderá servir para responder a outras situações sociais do concelho: “Vai ser um investimento da autarquia, num imóvel que passará a ser património da câmara, um património social”, disse o vice-presidente.Carla Paixão

Comentários

Mais Notícias

    A carregar...