uma parceria com o Jornal Expresso

Edição Diária >

Edição Semanal >

Assine O Mirante e receba o jornal em casa
31 anos do jornal o Mirante

Fernando Gomes

22 anos Fª Zêzere

Fernando Gomes nasceu, cresceu e fez-se jogador em Ferreira do Zêzere. O defesa-médio esquerdo fez toda a sua carreira na equipa da sua terra natal e garante que joga por amor ao clube e ao futebol. É aliás isso que o faz fazer mais de duzentos quilómetros para vir treinar depois de um árduo dia de trabalho

Edição de 12.04.2006 | Cromos da Bola
Há algum jogo que o tenha marcado pela positiva?Recordo especialmente o jogo deste ano para a Taça do Ribatejo, frente ao Torres Novas. Marquei um golo de bandeira, com um remate de fora da área. Foi um golo muito bonito, e deu para que fossemos ao prolongamento, que infelizmente não nos correu bem.E pela negativa?Pela negativa destaco um jogo ainda nos juniores em que fui expulso. E falo neste jogo porque a expulsão foi justíssima. Perdi a cabeça e agredi um adversário. Foi uma situação muito triste de que ainda hoje me arrependo muito. Se o convidassem para jogar numa equipa em que os restantes elementos fossem só mulheres aceitava?Aceitava sim. Até podia ser que desse mais algum entusiasmo a jogar futebol. Nos balneários ou tomávamos banho divididos, ou arranjava-se uma maneira de fazer como os nadadores salvadores, tomávamos banho de calções. Mas de certeza que seria uma boa experiência, que eu não me importava de ter. Até onde é que vão as suas ambições como futebolista?Tenho 22 anos, sou ainda muito jovem. Mas as minhas ambições não passam por ser jogador profissional. Jogarei no clube da minha terra até me quererem. Vivo intensamente o futebol da minha terra, por isso não me cansa ter que fazer mais de duzentos quilómetros para vir treinar sempre que há treino. Para além disso tenho em Ferreira do Zêzere a minha família e os meus amigos. Não trocava isso por mais alguns euros.Qual é a sua relação com os árbitros?Sou por sistema respeitador dos árbitros. Já apitei vários jogos de futebol de cinco, por isso não direi que não venha a ser árbitro, embora nesta altura isso não esteja nos meus planos, porque não é uma tarefa fácil ser árbitro.É fácil trabalhar e jogar futebol?Não é fácil, mas quando se gosta ultrapassamos bem essas dificuldades. A maior dificuldade é o inicio da época, depois entra-se na rotina e tudo se leva na desportiva.

Comentários

Mais Notícias

    A carregar...