uma parceria com o Jornal Expresso

Edição Diária >

Edição Semanal >

Assine O Mirante e receba o jornal em casa
30 anos do jornal o Mirante
A Área de Serviços que andou treze anos em bolandas

A Área de Serviços que andou treze anos em bolandas

Roques Vale do Tejo, SA inaugurada em Santarém

Mais de uma centena de convidados esteve presente na inauguração da nova área de serviços da Roques Vale do Tejo, SA, na zona Industrial de Santarém. A recepção teve música clássica ao vivo e muito “glamour”. O Administrador, José Manuel Roque, aproveitou para lembrar os escolhos que atrapalham a vida dos empresários portugueses.

Edição de 12.04.2006 | Economia
Na cerimónia que marcou a inauguração da nova área de serviços da Roques Vale do Tejo, SA, na zona industrial de Santarém, o presidente da Administração, José Manuel Roque não esqueceu as dificuldades que a empresa teve que ultrapassar ao longo de 13 anos para conseguir atingir o seu objectivo. E entendeu recordá-las porque constituem um exemplo mais da forma como certas situações “se reflectem de forma destrutiva na vida económica” do país. A aquisição dos terrenos onde foi construída a área de serviços foi feita em Abril de 1993. Cinco meses mais tarde o primeiro projecto de arquitectura encravou num director da então Junta Autónoma de Estradas e de uma sua colaboradora que defendiam que o edifício deveria estar a 50 metros do eixo da EN114. O investimento foi travado e a “senhora Engª parece ter sido entretanto promovida”. A situação causou perplexidade a José Manuel Roque. “Todos nós vemos hoje por todos os lados, exposições de veículos novos e usados, ligeiros e pesados, tractores, máquinas industriais, etc, ocupando terrenos junto às bermas de milhares de quilómetros de estrada em Portugal (o que nos aproxima cada dia que passa do Norte de África)e interrogamo-nos naturalmente acerca do que moveria aqueles funcionários e porque não actuam face a estes casos.”Foi preciso esperar quatro anos até que a EN 114 passasse da JAE para a Câmara de Santarém. O problema ficou desbloqueado mas surgiram contratempos com a empresa representada, a Renault, e houve que aguardar melhores dias. Só em Julho/Agosto de 2004 o projecto volta a andar. Mas a velocidade não foi muita e arrastou-se na câmara municipal um ano mais, perante a impaciência dos promotores. “Percorremos a via-sacra das repartições e autorizações que é normal num país moderno e ordenado. Já não é tão linear a circunstância de muitas vezes os estudos e análises desses projectos não serem feitos com critérios objectivos e ou por técnicos competentes e sobretudo honestos (…)”Em 8 de Agosto de 2005 foi obtida a tão desejada licença de construção. As obras começaram a 22 do mesmo mês. Os prazos foram cumpridos e quinta-feira, 6 de Abril, as instalações inauguradas com a presença de inúmeros convidados, entre os quais o ex-Ministro da Indústria e Energia Mira Amaral; François Provost, Administrador Delegado da Renault Nissan Portugal; Patrick Poulain Presidente Director Geral da Rci Banque Portugal; Júlia Nunes, Presidente da ANACOR; o Governador Civil do Distrito de Santarém, Paulo Fonseca e o Presidente da Associação Empresarial, José Eduardo Carvalho.
A Área de Serviços que andou treze anos em bolandas

Comentários

Mais Notícias

    A carregar...