uma parceria com o Jornal Expresso

Edição Diária >

Edição Semanal >

Assine O Mirante e receba o jornal em casa
30 anos do jornal o Mirante

Junta preocupada, câmara tranquila

Edição de 12.04.2006 | Sociedade
Ao lado dos agricultores está o presidente da Junta de Freguesia da Azinhaga, Vítor Guia, que diz já ter pedido um parecer à Comissão de Coordenação do Desenvolvimento Regional de Lisboa e Vale do Tejo (CCDRLVT) sobre o impacto da construção de um areeiro naquela zona.“Quero saber que estudos foram feitos e se as propriedades dos agricultores não vão sofrer quaisquer consequências. Neste momento estou a aguardar uma resposta às minhas questões, por isso não posso tomar posição. Mas a verdade é que esta zona é onde as correntes são mais fortes em tempo de cheias, daí chamarem-lhe Rombo Velho”, explica o autarca.Mais tranquilo e conformado mostra-se o presidente da Câmara da Golegã. Veiga Maltez deposita total confiança na CCDRLVT e no Laboratório Nacional de Engenharia Civil, entidades responsáveis pela atribuição de licenças de extracção de inertes.“A câmara municipal não tem de aprovar ou desaprovar nada, porque não nos compete a nós esse papel. Nem sequer podemos tributar esses impostos. Além disso, estou certo que ninguém ia aprovar um projecto desses caso houvesse alguma incompatibilidade ambiental ou se colidisse com os interesses dos agricultores”, defende Veiga Maltez. Contactada por O MIRANTE, a CCDRLVT não se mostrou disponível para prestar qualquer tipo de esclarecimento até ao fecho desta edição.

Comentários

Mais Notícias

    A carregar...