uma parceria com o Jornal Expresso

Edição Diária >

Edição Semanal >

Assine O Mirante e receba o jornal em casa
31 anos do jornal o Mirante

Utentes dos autocarros satisfeitos

Estudo revela reconhecimento de melhorias do serviço
Edição de 12.04.2006 | Sociedade
O Índice Global de Satisfação do Cliente da Rodoviária de Lisboa, que serve o concelho de Vila Franca de Xira, situou-se o ano passado nos 6,39 pontos, numa escala de um a dez, de acordo com os resultados de um inquérito divulgado pela empresa.A Rodoviária de Lisboa - que serve também as populações dos concelhos de Loures e Lisboa- registou assim uma evolução positiva desde 1998, altura em que o IGSC se situava nos 5,86 pontos. Em 2000 esse valor subiu para 6,13 pontos e em 2003 situou-se nos 6,21.Neste estudo, feito à empresa de transportes do Grupo Barraqueiro, os valores mais positivos foram atribuídos à facilidade de aquisição dos títulos de transporte (7,62 pontos), às informações prestadas pelos funcionários (7,33 pontos) e à simpatia e educação dos mesmos (6,99 pontos).O maior desagrado mostrado pelos inquiridos incidiu nas informações prestadas nas paragens (4,77 pontos) e nos preços praticados (4,47 pontos). Para os utentes destas carreiras a pontualidade, a segurança, o conforto, a rapidez, a limpeza e a frequência das carreiras são os seis factores mais valorizados.Assim, a pontualidade das carreiras obteve 6,53 pontos, a segurança nas viaturas 6,77 valores e a segurança nas paragens 6,53 pontos. Já a limpeza no interior das viaturas obteve 6,15 pontos e no exterior 6,31 pontos, a frequência das carreiras teve 5,88 valores.Este inquérito, encomendado a uma empresa externa à Rodoviária de Lisboa (Global N), foi feito em duas fases. Na primeira fase, foi realizado um pré-inquérito nas paragens realizado em Setembro do ano passado, onde se procedeu a uma recolha aleatória de contactos a dois mil clientes com mais de 15 anos.Numa segunda fase foi realizado um inquérito telefónico, que decorreu entre Setembro e Outubro de 2005, a mil utentes da lista elaborada. A maioria dos inquiridos foram mulheres, têm mais de 35 anos, pertencem a agregados familiares de três e quatro elementos e têm o ensino secundário ou primário.

Comentários

Mais Notícias

    A carregar...