uma parceria com o Jornal Expresso

Edição Diária >

Edição Semanal >

Assine O Mirante e receba o jornal em casa
30 anos do jornal o Mirante

“É difícil mas vamos tentar vencer os jogos que faltam”

Treinador do Ouriquense assume que a manutenção é muito complicada
Edição de 26.04.2006 | Desporto
O treinador do Estrela Ouriquense está consciente que com a derrota frente ao Elvas a descida aos distritais é um dado quase adquirido. Jorge Peralta reconhece que o jogo frente aos alentejanos não correu bem e que pouco há a fazer para inverter o actual estado das coisas.“Os jogadores estavam com uma tensão grande porque sabíamos que tínhamos de vencer. Sofremos um golo caricato e praticamente oferecido e a partir dai em termos anímicos a equipa caiu completamente e depois deixou o Elvas fazer o que quis. Na parte final toda a gente viu que a equipa arrastou-se e acabou por fazer um golo de pénalti que até nem me pareceu falta”, reconheceu o treinador.Ainda assim, Jorge Peralta diz que não foi neste jogo que a equipa desceu mas em todos os jogos mal perdidos durante a época. “Não foi hoje que a gente desceu, foi com outros resultados. Hoje acabámos por falhar de uma vez por todas e se calhar temos de assumir que a descida é uma realidade”.O treinador sabe que é difícil motivar os jogadores para os quatro jogos que faltam mas há que olhar em frente e sair com dignidade. “Sei que é difícil motivar os jogadores mas temos de dar tudo para tentar vencer os jogos que faltam e se descermos vai ser de cabeça levantada”.“Há que assumir que não tivemos capacidade para ficar. Ainda por cima este ano era muito difícil porque descem cinco equipas e há a possibilidade de descer ainda mais uma. Eu assumo a minha quota parte de responsabilidades mas há muita gente que também vai ter de assumir a quota parte deles”, disse no final do jogo.Jorge Peralta não vai ficar na equipa na próxima época, uma decisão tomada pelo próprio depois de um ano em que quase tudo correu mal. “Tudo o que se passou aqui este ano desgastou-me muito como treinador. Não é só por descer de divisão. Passei aqui três anos muito bons, gosto muito do clube e dos dirigentes que trabalharam comigo e as pessoas sempre me trataram bem. Levo o clube no coração porque foi quem me deu oportunidade de ser treinador, de ser campeão distrital e treinar uma equipa na terceira divisão. Vou sair mas amanhã ou depois quem sabe se não voltarei”.Em sua opinião o pior de tudo ao longo desta época foi não poder jogar em Vila Chã. “É com muita pena que vamos acabar o campeonato nacional da terceira divisão, que o clube disputou pela primeira vez em setenta e tal anos de vida, sem realizar um único jogo em Vila Chã de Ourique. As pessoas podem dizer que aqui o campo e o relvado são bons mas não é a mesma coisa que jogarmos lá. Falta o calor das pessoas. Há dois anos que não jogamos em casa”, recordou.Questionado pelo nosso jornal se apesar dos problemas valeu a pena ter ficado, Jorge Peralta respondeu afirmativamente. “Valeu a pena pela experiência. Nunca tinha treinado uma equipa no nacional, onde tinha estado como jogador na terceira e na segunda. Aprendi muito, tirei muitas ilações e se calhar no futuro vou actuar de maneira diferente porque durante estes dez meses aprendemos todos muitos”.

Comentários

Mais Notícias

    A carregar...