uma parceria com o Jornal Expresso

Edição Diária >

Edição Semanal >

Assine O Mirante e receba o jornal em casa
30 anos do jornal o Mirante

“Não podemos ter tantas marcas”

Secretário de Estado apela a união para promover a afirmação dos vinhos do Cartaxo
Edição de 03.05.2006 | Economia
Os viticultores do Cartaxo têm que investir na qualidade dos vinhos do concelho, apostando nas castas, no clima e nos ricos solos da lezíria. A mensagem foi deixada aos produtores de vinho cartaxenses pelo secretário de Estado adjunto da Agricultura e Pescas durante a abertura oficial da Festa do Vinho, ao final da tarde de quinta-feira, 28 de Abril, no pavilhão de exposições.“É preciso continuar a apostar na qualidade. Quem não o fizer será afastado do mercado”, sentenciou Luís Medeiros Vieira.O governante lembra que Portugal tem produtos de qualidade, mas falha depois na vertente da promoção e comercialização, já que existe uma enorme dificuldade em chegar a certos mercados.Para Luís Vieira há um longo trabalho a fazer não só na melhoria da gestão, mas na preparação de novos canais de produção e novos mercados, potenciando formas de parceria entre os privados e cooperativas.“Não podemos ter tantas marcas. Só é possível entrar nos mercados internacionais, não com a pulverização de muitas marcas, mas com um vinho de qualidade debaixo de um único chapéu ou marcha”, sublinha o governante.Luís Vieira acredita que só com recurso às parcerias e cooperativas é possível dar dimensão ao sector, facilitar o escoamento e atingir novos mercados mais exigentes.O responsável lembra que o próximo quadro comunitário de apoio privilegia a organização do sector e irá apoiar os empresários que tenham dimensão e que se mostrem preparados para enfrentar os novos desafios do sector. “Quem estiver virado para si próprio terá que fazer o caminho sozinho. Os recursos são escassos”, salienta. O presidente da Câmara do Cartaxo considera que o Cartaxo e o Ribatejo têm dado provas de que têm potencialidades na área. “Os vinhos do Ribatejo felizmente hoje têm uma excelente qualidade, são sexys e atraentes e marcam a diferença no nosso país”, sublinhou.Para Paulo Caldas é preciso aprender que vender o vinho não é apenas promover o vinho. “O vinho é também cultura, é história, é gastronomia e turismo”.O edil tem consciência que é preciso afirmar os vinhos do Ribatejo no país e também por isso mostrou disponibilidade em transferir o festival Nacional de Vinhos para o Centro Nacional de Exposições, em Santarém.Na festa do vinho do Cartaxo fica a tipicidade e o valor local que ajudará também o néctar do concelho a afirmar-se a nível regional e nacional.

Comentários

Mais Notícias

    A carregar...