uma parceria com o Jornal Expresso

Edição Diária >

Edição Semanal >

Assine O Mirante e receba o jornal em casa
30 anos do jornal o Mirante
Cidadãos mais distantes

Cidadãos mais distantes

Trinta anos do poder local democrático evocados em Vila Franca de Xira

Há 30 anos o poder local democrático uniu as populações. Hoje a realidade é diferente e os cidadãos estão distantese não participam.

Edição de 03.05.2006 | Política
Actuais e antigos autarcas da Junta de Freguesia de Vila Franca de Xira juntaram-se para assinalar os 30 anos sobre as primeiras eleições autárquicas democráticas. Na sessão no passado dia 26, contaram-se histórias de tempos de dificuldades, mas de grande entusiasmo.A actual presidente da câmara de Vila Franca recordou os quatro anos que esteve na junta de freguesia como secretária, de 1987 a 1991. “Como eram diferentes as coisas nos primeiros tempos”, declarou Maria da Luz Rosinha. A autarca falou das dificuldades que a junta tinha em atender às solicitações da população e das pequenas conquistas que se tornavam em grandes alegrias. Uma delas foi a compra de um dumper, o primeiro equipamento adquirido pela Junta de Freguesia de Vila Franca. Dos grandes desafios que se lhe colocaram durante o mandato Maria da Luz Rosinha recordou uma inundação que afectou muitas famílias. Para fazer face aos problemas faltaram os meios, restou a solidariedade.Evocando, ainda, os tempos em que as pessoas eram mais participativas, a presidente da câmara considerou “um perigo a indiferença dos cidadãos hoje em dia”. Maria da Luz Rosinha adiantou que esta atitude “não honra” o esforço de todos os que ajudaram a construir a freguesia. De 1989 a 1993 foi José Neves quem dirigiu os destinos da Junta de Freguesia de Vila Franca. “Outros tempos”, marcados por muito trabalho e muito entusiasmo. Um entusiasmo que referiu, veio esmorecendo, quer por parte dos autarcas, quer das próprias populações. José Neves, que no mandato de 2001/2005 foi vereador da câmara municipal pela CDU, recordou aquela que foi para si a maior conquista: colocar nos quadros todos os 27 trabalhadores da junta. A construção da primeira oficina e dos primeiros balneários foram outras das obras que se orgulha de ter conseguido. Isto numa altura em que o orçamento da junta se ficava pelos 150 mil euros, quando hoje atinge o milhão e meio de euros. Na sessão que decorreu no Ateneu Artístico Vilafranquense estiveram presentes outros ex-autarcas da Junta de Freguesia de Vila Franca. Entre eles Costa Ferreira e Laurindo Correia, ex-presidentes da assembleia de freguesia. Presentes estiveram também os actuais autarcas da junta e da assembleia de freguesia, bem como Nelson Antunes, representante da Associação Nacional de Freguesias, que foram unânimes na defesa de uma maior descentralização do poder e aproximação aos cidadãos. O presidente da junta, José Fidalgo, advogou que a “construção do país faz-se debaixo para cima” e sublinhou que no futuro o papel do poder local será cada vez mais importante.
Cidadãos mais distantes

Comentários

Mais Notícias

    A carregar...