uma parceria com o Jornal Expresso

Edição Diária >

Edição Semanal >

Assine O Mirante e receba o jornal em casa
30 anos do jornal o Mirante

Nuno Rebocho

29 anos - Salvaterrense

Nuno Rebocho tem 29 anos e é um guarda-redes com uma grande experiência. Foi profissional de futebol durante 10 anos, mas como nada é certo no mundo da bola agarrou uma oportunidade de emprego e deixou o futebol em segundo plano. Fez as camadas jovens no Cartaxo e Estrela da Amadora, depois passou por muitos clubes dos nacionais como Imortal, Sourense, Portosantense, Lamego, Ourique e Riachense, sempre nos nacionais. Agora regressou ao distrital e a convite do seu amigo Luís Salgueiro veio dar uma mãozinha ao Salvaterrense.

Edição de 10.05.2006 | Cromos da Bola
Se pudesse vivia apenas do futebol?Vivi exclusivamente do futebol durante 10 anos. Agora isso é quase impossível. As coisas estão tão más que nem nos clubes grandes os jogadores estão seguros. Por isso optei por um emprego certo e vou “matando o bichinho” em equipas aqui da região. Já não aspiro a mais do que isso.Deixou muito dinheiro espalhado pelos clubes por onde passou?Felizmente não. Ninguém me ficou a dever nada. Foram sempre clubes honestos e só tive um problema com o Sourense, clube que tive que accionar em tribunal para me pagar tudo o que me devia.Qual é o jogo que mais recorda pela positiva?O que mais me lembro foi o meu primeiro jogo no Imortal de Albufeira. Porque foi o meu primeiro jogo como sénior a nível nacional e porque fiz uma excelente exibição.E qual foi o pior?Foi um jogo disputado em Castelo Branco, quando jogava no Sourense. Foi um daqueles dias que mais valia não ter saído de casa. Foi tudo muito mau.Gostava de ser árbitro?Não. Nem pensar. Independentemente de às vezes não estar de acordo com as suas decisões, também não deixo de ter a noção de que eles têm uma missão bem difícil.Um bom balneário é indispensável para formar uma boa equipa?Sem dúvida que sim. O balneário do Salvaterrense é extraordinário. Há uma grande unidade de todo o grupo, jogadores, treinadores e dirigentes, situação que nos tem ajudado a superar algumas fases menos boas. Se o convidassem para jogar numa equipa em que os restantes elementos fossem mulheres, aceitava?Possivelmente sim. Tinha que se ver as condições e tudo o que envolvia o convite. Mas devia ser engraçado, principalmente no balneário.

Comentários

Mais Notícias

    A carregar...