uma parceria com o Jornal Expresso

Edição Diária >

Edição Semanal >

Assine O Mirante e receba o jornal em casa
30 anos do jornal o Mirante

Erro técnico empata campeões

Piloto ribatejano Luís Correia deu espectáculo mas foi traído pelos nervos

Luís Correia e Hugo Santos foram os protagonistas da segunda passagem ribatejana no nacional de motocross de MX1. Cada um venceu uma manga e Hugo Santos mantém a vantagem de oito pontos sobre o piloto ribatejano.

Edição de 10.05.2006 | Desporto
Um erro técnico, no início da segunda manga, impediu Luís Correia (Suzuki RMZ 450) de vencer a oitava prova da classe MX1 do Campeonato Nacional de Motocross, que se disputou domingo na pista da Carneira, na localidade de Moçarria, a 11 quilómetros de Santarém.A correr perante o seu público, que compareceu em peso, com cerca de duas mil pessoas a assistirem à prova, Luís Correia, que já vencera a primeira manga, saiu a todo o gás da grelha de partida e colocou-se na liderança da segunda manga logo após a primeira curva.Só que, quando seguia na liderança e estava prestes a completar a terceira volta, Luís Correia deixou a mota ir abaixo numa curva e perdeu cerca de meio minuto para voltar a colocá-la em funcionamento, caindo para o sétimo lugar.“O erro foi meu e na alta competição os erros pagam-se caros. Estava com muita pressão por estar a correr em casa e o Hugo Santos (Honda CDR 450) estava bastante forte. Pelo que me apercebi não apertei bem a embraiagem e a mota foi abaixo”, explicou o piloto com visível tristeza mas muita dignidade, assumindo o erro quando seria mais fácil culpar a mota.Assim que conseguiu voltar a acelerar, Luís Correia foi à procura dos pilotos que estavam à sua frente e em pouco mais de uma volta ultrapassou três, ficando colado na roda traseira de Henrique Venda (Kawasaki KXF 450). O público, até então adormecido, pareceu acordar e não regateou aplausos ao piloto ribatejano, que depois não demorou a ultrapassar o adversário da mota número dois, chegando à terceira posição.Mas Luís Correia ainda não estava satisfeito. Paulo Gonçalves (Honda CDR 450), que era segundo, estava a 15 segundos e 311 foi atrás dele. Numa volta ganhou-lhe quatro segundos, nas outras duas repetiu a proeza e lá estava novo duelo, desta vez pelo segundo posto.A luta durou três voltas, a última das quais com as rodas quase coladas. Correia deu tudo, arriscou, e debaixo de aplausos estrondosos, que quase se sobrepunham ao barulho das motas, passou para o segundo lugar.Para vencer faltava chegar a Hugo Santos, que tinha uma vantagem de 20 segundos. Nas três voltas seguintes, o piloto da Moçarria recuperou 8 segundos e o público acreditou que era possível chegar-se ao campeão nacional de 250 centímetros cúbicos (cc). Mas não. Informado pelo seu staff, o dorsal número 1 aumentou o ritmo e nas voltas finais manteve a distância entre 11 e 13 segundos. Luís Correia voltou a deixar a mota ir abaixo mas desta vez por pouco tempo e manteve o segundo lugar, a 22 segundos do vencedor.Na primeira manga, a história foi diferente. Henrique Venda liderou as primeiras duas voltas mas na terceira Luís Correia assumiu o comando, seguido por Hugo Santos, relegando o algarvio para a terceira posição, lugares que se mantiveram inalteráveis até final.Com estes resultados, Hugo Santos mantém a liderança do Campeonato Nacional de MX1, com 358 pontos, mais oito que Luís Correia, o segundo classificado. Sandro Marcos (Suzuki) é terceiro, com 283. Marcos esteve na Moçarria e cumpriu as verificações técnicas mas optou por não alinhar, pois encontra-se ainda bastante dorido da violenta queda sofrida no dia 1 de Maio, na pista de Cortelha.

Comentários

Mais Notícias

    A carregar...