uma parceria com o Jornal Expresso

Edição Diária >

Edição Semanal >

Assine O Mirante e receba o jornal em casa
30 anos do jornal o Mirante

De novo em cena

Cine-Teatro da Chamusca reabriu sábado com novo fôlego e alguma emoção

O Cine-Teatro da Chamusca reabriu de cara lavada e está apto a receber cinema, teatro, conferências e organizações locais e nacionais das mais diversas actividades.

Edição de 24.05.2006 | Cultura e Lazer
Muitas vozes acompanharam com emoção a canção “Chamusca Linda Vila Portuguesa”, enquanto o filme de 15 minutos sobre a história do Cine-Teatro da Chamusca e imagens da povoação ia passando.A sala do largo 25 de Abril está apta a receber teatro, cinema e auditório para diversas actividades e foi reinaugurada ao fim de ano e meio de obras de reabilitação. Com capacidade para mais de 300 pessoas, a sala em forma de anfiteatro ficou bem composta e muitos foram os que saíram emocionados no final de uma jornada de alegria que, este sábado, coincidiu com o arranque da Semana da Ascensão.O público presente pôde visitar as instalações renovadas do cine-teatro, camarins, o palco e dar uso às cadeiras azuis da ampla e alta sala de espectáculos.Durante a cerimónia, o presidente da Câmara de Chamusca, Sérgio Carrinho (CDU), realçou a importância de um espaço que serviu a cultura cinematográfica e teatral da região e do país. E recordou as vicissitudes do projecto de reabilitação do cine-teatro que se arrastou durante anos sem financiamentos públicos. O autarca deixou elogios ao gestor do programa Valtejo, António Marques, responsável por 50 por cento do financiamento de um milhão de euros investido na recuperação do cine-teatro. Uma obra iniciada em Setembro de 2004.Sérgio Carrinho alertou no entanto para as diferenças esmagadoras que ainda se vivem entre a capital do país e o interior, recordando que o orçamento do Teatro de S. Carlos é superior ao da Câmara da Chamusca.O restante financiamento foi assegurado em dez por cento pela Santa Casa da Misericórdia da Chamusca, proprietária do imóvel, e em 40 por cento pelo município. A Misericórdia contraiu um empréstimo na banca a dez anos que a autarquia acedeu em pagar trimestralmente à instituição.O provedor da Misericórdia, Fernando Barreto, elogiou a recuperação efectuada no espaço de cultura que agora vai dispor de cinema, teatro e auditório para conferências. Está também à disposição de outras organizações e a cargo de artistas locais e nacionais. Agradeceu ainda o apoio da Câmara da Chamusca e do Estado na comparticipação financeira do projecto.António Marques sublinhou que os dinheiros públicos investidos no cine-teatro da Chamusca são bem empregues para um equipamentos cultural sustentado em memórias e na cultura. “Há que valorizar estes espaços nas localidades e vive-los intensamente. Para isso há que prescindir, de vez em quando, do conforto das novelas”, sugeriu. O governador civil de Santarém realçou o dia de festa vivido pela população da Chamusca com a recuperação do seu cine-teatro e fez votos para que o equipamento integre a rede nacional de espectáculos. Paulo Fonseca considerou que existe um excesso de equipamentos culturais e desportivos devido à escassa utilização pelos cidadãos.Ricardo Carreira

Comentários

Mais Notícias

    A carregar...