uma parceria com o Jornal Expresso

Edição Diária >

Edição Semanal >

Assine O Mirante e receba o jornal em casa
30 anos do jornal o Mirante
Festa sem comandante anfitrião

Festa sem comandante anfitrião

Dia Municipal do Bombeiro em Castanheira do Ribatejo

O ex-comandante dos voluntários da Castanheira do Ribatejo, Manuel Félix foi ausência notada nas comemorações do Dia Municipal do Bombeiro. A corporação tem uma nova ambulância, mas continua à espera do quartel.

Edição de 24.05.2006 | Sociedade
As comemorações do Dia Municipal do Bombeiro do concelho de Vila Franca de Xira decorreram no domingo em Castanheira do Ribatejo e ficaram marcadas pela ausência do comandante da corporação anfitriã, Manuel Félix Gomes. O líder do corpo activo demitiu-se do cargo de comandante e deixou de ser funcionário da associação depois de longos anos de dedicação. O MIRANTE apurou que o comandante se incompatibilizou com o presidente e já está a exercer outras funções. Questionado pelo nosso jornal, o presidente da direcção Carlos Correia confirmou que o comandante se tinha demitido de todas as funções, mas reservou para mais tarde os esclarecimentos sobre os motivos que levaram à saída de Manuel Félix no início de Abril.O comando foi representado pelo adjunto Mário Batista dado que a corporação também não tem segundo comandante. Brevemente a direcção irá nomear a nova equipa para liderar o corpo activo dos bombeiros. Apesar dos problemas internos da corporação anfitriã, o Dia do Bombeiro foi assinalado com um ambiente de festa e, como manda a tradição, a corporação local recebeu uma nova viatura. O padre Joaquim Calheiros procedeu à benção da nova ambulância dos bombeiros da Castanheira do Ribatejo.É uma viatura tipo A2 para transporte de doentes, com nove lugares sentados ou sete lugares sentados e duas cadeiras de rodas.Avaliada em cerca de 32 mil euros, a ambulância foi adquirida com a comparticipação de 25 mil euros da câmara, 3.500 euros da Junta de Freguesia da Castanheira do Ribatejo e o restante foi suportado pela direcção de associação.“A compra desta ambulância foi pensada para prestar um melhor serviço às pessoas idosas e aos doentes que têm dificuldades de locomoção e que têm de se deslocar para tratamentos”, explicou o presidente da associação, Carlos Correia a O MIRANTE.A ambulância destinada a transportes múltiplos, foi baptizada com o nome de Carlos Tavares, proprietário de uma oficina de reparação automóvel, empresário que “tem sido uma das maiores ajudas que a associação tem na resolução do parque automóvel”, salientou o líder da direcção. Bombeiros de bicicletaOutra novidade no dia dedicado aos voluntários foi a apresentação da nova equipa ciclo dos Bombeiros de Alhandra, vocacionada para intervenção rápida no passeio ribeirinho do Tejo. Os socorristas deslocam-se em bicicletas equipadas com o indispensável para a primeira intervenção.As comemorações do XVIII Dia Municipal do Bombeiro foram presididas pelo secretário de Estado da Administração Interna, Ascenso Simões e envolveram as seis corporações do concelho.O presidente da direcção da associação local agradeceu o apoio que a corporação tem recebido da câmara municipal, da Junta de Freguesia e de alguns empresários da localidade. Carlos Correia referiu as dificuldades sentidas pelas corporações de bombeiros para se manterem, “o que só é possível graças ao trabalho dedicado dos órgãos sociais e ao voluntarismo de mulheres e homens que vestem a farda de bombeiro”. A falta de meios com que os bombeiros lutam constantemente e a dificuldade em adquirir bens materiais, foi outro dos aspectos focados por Carlos Correia. “Deveria ser o poder político que em tempo útil, e de acordo com as necessidades de cada associação, a fornecer esses meios”, defendeu o presidente da direcção dos Bombeiros Voluntários da Castanheira do Ribatejo, acrescentando que os bombeiros da Castanheira não recebem nenhuma viatura por parte do Serviço Nacional de Bombeiros e Protecção Civil (SNBPC), desde 1999.Carlos Correia lamentou a falta de apoios da grande maioria das empresas e comerciantes da freguesia “salvo honrosas excepções”, nomeando os poucos empresários que ainda ajudam a associação.Também a construção do novo quartel foi referida, afirmando que foi “suspenso pelo governo”, enquanto o parque automóvel se vai degradando dia a dia e está sujeito a actos de vandalismo.António Melo, da direcção da Liga dos Bombeiros Portugueses, aproveitou a presença do secretário de Estado para lhe pedir que sensibilizasse “o seu colega da saúde para que olhe de uma vez por todas para o problema do serviço de saúde” sublinhando os altos custos dos combustíveis, enquanto o ministério continua a pagar o quilómetro aos bombeiros a 27 cêntimos. “É altura de haver uma definição neste sector”, vincou António Melo.A líder do município de Vila Franca, Maria da Luz Rosinha disse que “é urgente criar condições para a semi-profissionalização dos bombeiros”, sem no entanto esquecer o voluntariado, mostrando-se confiante no empenho do secretário de estado. “Estou certa que isso irá acontecer num horizonte temporal cuja meta desconheço, mas tenho confiança que vai acontecer”, disse, dirigindo-se ao governante.Ascenso Simões, depois de felicitar António Carvalho, comandante dos Bombeiros da Póvoa de Santa Iria, pela recente eleição para a Federação Distrital dos Bombeiros de Lisboa, deu razão às queixas e lamentos. O representante do governo afirmou é preciso “passar da razão à decisão”, defendendo a urgência de actualizar o regulamento dos corpos activos dos bombeiros.“É necessário dar-lhe uma nova dinâmica, é necessário valorizar o papel dos bombeiros na prestação de socorro em Portugal, mas também é necessário integrar o estatuto social do bombeiro nesse regulamento, dando-lhe uma nova dimensão”, acrescentou o secretário de Estado. Ascenso Simões propõem tomar estas e outras medidas de melhoria de carreira para os bombeiros, no primeiro semestre deste ano.José Bernardes
Festa sem comandante anfitrião

Comentários

Mais Notícias

    A carregar...