uma parceria com o Jornal Expresso

Edição Diária >

Edição Semanal >

Assine O Mirante e receba o jornal em casa
30 anos do jornal o Mirante

Nem os clientes escaparam

Polícia Judiciária investiga assalto à mão armada nos Correios de Almeirim

O assalto à estação de Correios de Almeirim é o segundo feito à mão armada na mesma zona, a mais movimentadada cidade.

Edição de 24.05.2006 | Sociedade
Seis utentes e quatro funcionários estavam na estação de Correios de Almeirim quando um grupo assaltou as instalações sob ameaça de uma caçadeira de canos serrados. “Isto é um assalto… deitem-se todos no chão”, gritou um dos três elementos, armado de caçadeira, que quinta-feira, dia 18, assaltaram a estação de correios de Almeirim. Os ladrões levaram o dinheiro das caixas e os bens pessoais de seis clientes que esperavam para ser atendidos. O assalto ocorreu às 15h30 numa das zonas mais movimentadas da cidade, perto da câmara municipal e onde estão instaladas quatro instituições bancárias. Um dos assaltantes ficou no carro à porta dos CTT para facilitar a fuga. Enquanto os outros dois, encapuzados, entraram nas instalações provocando o pânico nos funcionários e utentes. Segundo contou a O MIRANTE uma testemunha, enquanto um deles vigiava as pessoas com a arma apontada, o outro entrou dentro do balcão e levou o dinheiro que encontrou. Depois pediu as malas pessoais das senhoras, bem como os relógios, fios e pulseiras. Uma das clientes estava na estação dos CTT para fazer o pagamento do seguro do prédio onde reside. Ficou sem 137 euros, para além de todos os documentos e o telemóvel. Depois meteram-se no carro e arrancaram em direcção a Lisboa. A GNR de Almeirim assim que teve conhecimento do assalto alertou uma patrulha que andava na zona de Benfica do Ribatejo, onde montaram uma barreira na Estrada Nacional 118. Avisou também a Brigada de Trânsito, mas o Honda Civic usado na fuga não foi detectado. Segundo o comandante da secção de investigação criminal do grupo territorial da GNR de Santarém e oficial de relações públicas, major Lopes Pereira, veio a verificar-se que a matrícula do carro usado na fuga era falsa. A GNR suspeita que os assaltantes sejam jovens e de raça negra. Por se tratar de um assalto à mão armada, a ocorrência transitou para a Polícia Judiciária que agora está a investigar o caso. A GNR diz que este tipo de assalto a estações de correios não é habitual na região. “Não é muito frequente este tipo de assaltos”, reforçou João Barbosa do gabinete de comunicação dos CTT. Nem as autoridades nem os Correios revelaram os montantes roubados. Na altura estavam nas instalações quatro funcionários dos CTT.

Comentários

Mais Notícias

    A carregar...