uma parceria com o Jornal Expresso

Edição Diária >

Edição Semanal >

Assine O Mirante e receba o jornal em casa
30 anos do jornal o Mirante

Câmara da Golegã preocupada com acidentes

No troço da EN 365 que liga o concelho ao Entroncamento
Edição de 31.05.2006 | Sociedade
Desde o início do ano o troço da Estrada Nacional (EN) 365 entre o Entroncamento e a Golegã já foi palco de nove acidentes que provocaram duas vítimas mortais, dois feridos graves e oito feridos ligeiros. Números que engrossam a extensa lista de sinistros registados naquela zona, e que na maioria se devem ao excesso de velocidade dos automobilistas.Nos últimos 42 meses, a EN 365 nessa zona ficou marcada exactamente por tantos acidentes quanto o número de meses. No total, foram contabilizados 4 mortos, 17 feridos graves e 35 ligeiros. Situação que despertou a atenção do executivo da Câmara Municipal da Golegã, que na última reunião demonstrou preocupação com a elevada sinistralidade registada naquela via.O presidente do município, José Veiga Maltez (PS), não tem dúvidas de que a EN 365 se encontra devidamente sinalizada e sem problemas de manutenção. O que o faz admitir que “o grande número de acidentes ali ocorridos deve-se essencialmente ao não cumprimento das regras de trânsito” por parte dos condutores mais aventureiros.Segundo o Instituto de Estradas de Portugal (EP), já durante o ano de 2006 foi substituída toda a sinalização vertical na EN 365, que também foi incluída no concurso público que prevê a execução de sinalização horizontal em 48 quilómetros de estradas do distrito de Santarém. Por outro lado, a mesma entidade lembra que “encontram-se limitações de velocidade nos locais em que se considera justificável a sua implementação” e que “quanto aos eventuais excessos de velocidade não compete à EP a sua fiscalização”.Ainda assim, apesar da EN 365, entre a Golegã e o Entroncamento, ser uma estrada desclassificada pelo Plano Rodoviário Nacional, que será substituída pelo futuro IC3 – que está em fase de elaboração do projecto de execução -, a EP compromete-se a “assegurar as necessárias condições de circulação e segurança” naquela estrada até à entrada em funcionamento da nova via. O que não pode é garantir que os condutores sejam mais conscientes e percebam os perigos do não cumprimento das regras de trânsito.O último acidente que ocorreu na EN 365 tirou a vida a um atleta de triatlo, que no dia 14 de Maio foi abalroado por um carro que se despistou e acabou por colidir com o desportista que seguia na sua bicicleta em sentido contrário. No dia seguinte, mais dois acidentes naquela estrada fizeram dois feridos graves.Com o intuito de alertar os automobilistas para a perigosidade daquela estrada, “que continua a ser manchada por violentos acidentes de viação”, Veiga Maltez equacionou a hipótese de colocar no local um aviso que desperte a atenção dos condutores para o número de sinistros ali ocorridos durante os últimos três anos. Por enquanto, a ideia vai ficar-se pela intenção porque o edil teme que o tiro lhe saia pela culatra e os cartazes provoquem a distracção dos automobilistas. A autarquia também ainda não comunicou a ideia ao Instituto de Estradas de Portugal, que deverá decidir sobre a pertinência da colocação desses cartazes.Carla Paixão

Comentários

Mais Notícias

    A carregar...