uma parceria com o Jornal Expresso

Edição Diária >

Edição Semanal >

Assine O Mirante e receba o jornal em casa
30 anos do jornal o Mirante
Quando os projectos não batem certo

Quando os projectos não batem certo

Vereador da Câmara do Entroncamento diz que há discrepâncias entre o que aprovou e o que foi feito

O vereador da Câmara do Entroncamento, Ezequiel Estrada, diz que o projecto de melhoramentos da rotunda da ponte da pedra que aprovou em reunião de câmara nada tem a ver com a obra que está feita.

Edição de 31.05.2006 | Sociedade
“O projecto que aprovei nada tem a ver com o que a câmara apresentou à Direcção de Estradas de Santarém nem ao que realmente foi executado em obra”, diz o vereador da Câmara do Entroncamento, Ezequiel Estrada (independente eleito pelo PS), referindo-se à rotunda da Ponte da Pedra.Uma obra que tem servido como prato principal em diversas reuniões camarárias, com críticas de parte a parte. O vereador Ezequiel Estrada sentiu-se ofendido por o presidente do município, Jaime Ramos (PSD) o ter acusado de criticar um projecto que ele próprio aprovou.Uma afirmação que o vereador rebate agora, depois da recolha de documentos efectuada nos serviços. Que provam que ele não foi visto nem achado no que respeita ao projecto de implantação da rotunda, cuja aprovação não passou sequer pelo executivo municipal.Ao contrário do projecto de melhoramentos, esse sim, subscrito pelo vereador. “O que aprovei foram as obras de melhoramentos, nunca tinha passado a vista pelo projecto de implantação”. Porque este foi decidido no mandato anterior, quando Ezequiel Estrada não fazia parte do executivo camarário. “Porque é que um projecto tem de ir a deliberação camarária e o outro não?”, questiona.Uma questão à qual o presidente da câmara responde prontamente – “O projecto de implantação não foi à reunião porque não era necessário. Está dentro da minha competência, devido ao valor da obra, despachá-la favoravelmente”, refere Jaime Ramos a O MIRANTE.O presidente adianta só ter levado o segundo projecto – de melhoramentos – a deliberação camarária por uma questão de “cortesia” em relação aos vereadores da oposição. “Também não era obrigado a levar o projecto de melhoramentos à reunião, só o fiz porque, uma vez que estávamos num novo mandato, achei que os novos vereadores deveriam conhecê-lo”, diz Jaime Ramos, mostrando-se agastado com “falsos” problemas levantados pela oposição.“Um dia criticam o projecto da Ponte da Pedra, outro dia acusam-me de xenófobo. Se eu fosse a responder a tudo não fazia mais nada, não havia ninguém para governar e gerir a câmara”.Quanto à acusação feita por Ezequiel Estrada relativamente ao facto do chamado projecto de melhoramentos “não corresponder à obra efectivamente realizada, não ter qualquer termo de responsabilidade pela sua execução, conforme é exigência legal”, nem nele constar “qualquer assinatura ou rubrica do presidente e dos vereadores”, Jaime Ramos entende que não existe qualquer irregularidade.“Se eles (PSD) acham isso que embarguem a obra”, diz o presidente do município, adiantando no entanto que irá analisar melhor o requerimento apresentado pelos vereadores da oposição socialista, incluído na acta da reunião de 15 de Maio. “Se houver alguma irregularidade com certeza que ela será rectificada”.
Quando os projectos não batem certo

Comentários

Mais Notícias

    A carregar...