uma parceria com o Jornal Expresso

Edição Diária >

Edição Semanal >

Assine O Mirante e receba o jornal em casa
31 anos do jornal o Mirante

Central de ciclo combinado no Pego

Direcção Geral de Geologia e Energia deu luz verde
Edição de 04.10.2006 | Economia
A Tejo Energia e a Galp Energia já receberam notificações da Direcção Geral de Geologia e Energia (DGGE) sobre a existência de capacidade na rede para a construção de duas centrais de ciclo combinado no Pego (Abrantes) e em Sines.O presidente da Endesa Portugal, Nuno Ribeiro da Silva, confirmou à Lusa que a Tejo Energia, na qual a Endesa tem uma participação de 38,9 por cento, recebeu autorização para avançar com os procedimentos ambientais no sentido de construir uma central de 940 MW no Pego, em Abrantes.Ribeiro da Silva espera ter a licença de construção ainda este mês, depois de receber a licença ambiental do Instituto do Ambiente, prevendo que a central entre em funcionamento dois anos depois do início da construção.A EDP e a Iberdrola ainda não receberam qualquer notificação, segundo fontes das duas empresas, mas o secretário de Estado adjunto da Economia, António Castro Guerra, afirmou ao Jornal de Notícias que deverão receber "luz verde" ainda esta semana.Castro Guerra garantiu que há capacidade na rede para acolher a potência e energia gerada pelos quatro grupos geradores solicitados pelas duas empresas para a Figueira da Foz. A EDP renovou o seu pedido para dois grupos geradores de 400 megawatts (MW) cada na Figueira da Foz, Sines e Alto Tejo (Lares).A Iberdrola renovou o interesse para dois grupos geradores, num total de 850 MW na Figueira da Foz, tendo a declaração de impacto ambiental (DIA) condicionalmente favorável desde Janeiro deste ano.Fonte oficial da EDP afirmou que a empresa dispõe já das declarações de impacte ambiental para Sines e Figueira da Foz e do estudo de impacte ambiental para Lares. As centrais só poderão começar a ser construídas depois das empresas obterem a licença ambiental.O investimento em novas centrais de ciclo combinado deve atingir os 1.520 milhões de euros, podendo ser atribuídos oito grupos geradores com uma potência de 400 megawatts (MW) cada.

Comentários

Mais Notícias

    A carregar...