uma parceria com o Jornal Expresso

Edição Diária >

Edição Semanal >

Assine O Mirante e receba o jornal em casa
30 anos do jornal o Mirante

Santarém em nono lugar na lista das cidades mais competitivas

Edição de 04.10.2006 | Economia
A cidade de Santarém ocupa a nona posição na lista de competitividade das cidades portuguesas. Segundo um estudo elaborado em co-autoria por Paulo Mourão, professor do Departamento de Economia da Universidade do Minho, e o economista Júlio Miguel Barbosa, aplicou às capitais de distrito portuguesas o mesmo método que o Fórum Económico Mundial utiliza para elaborar anualmente o 'ranking' da competitividade mundial.No resto do país, Évora é a mais competitiva das 18 capitais de distrito portuguesas, à frente de Lisboa, enquanto o Porto ocupa o último lugar da lista. Os autores construíram um Índice de Competitividade das Cidades Capitais de Distrito (ICC) do continente português, que coloca Évora, mesmo quando comparada com as suas congéneres do litoral, como a mais competitiva nas dimensões demográfica, empresarial e de conforto.Já o Porto, uma cidade historicamente relevante, situada no litoral, apresenta uma menor vantagem na competitividade empresarial, demográfica e do conforto, superando Évora ao nível da competitividade laboral, que está ligada a "um maior número de oportunidades de trabalho em grandes unidades produtivas".Para compor o índice de competitividade global, o ICC, os autores utilizam quatro sub-índices, que medem a competitividade laboral, a empresarial, demográfica e de conforto e basearam os cálculos no Atlas das Cidades de Portugal, publicado pelo Instituto Nacional de Estatística em 2002.Para determinar a competitividade empresarial, os autores do estudo têm em conta o volume de negócios no comércio, a capacidade de alojamento média e a taxa bruta de ocupação de cama nos estabelecimentos hoteleiros, as licenças para construções novas e para habitação e o número de visitantes por museu.Para o autor, o "trabalho contém um conjunto de sugestões e reflexões que são válidas por um longo período e até que seja realizada outra investigação, o que só será possível com a publicação de novos dados pelo INE".

Comentários

Mais Notícias

    A carregar...