uma parceria com o Jornal Expresso

Edição Diária >

Edição Semanal >

Assine O Mirante e receba o jornal em casa
31 anos do jornal o Mirante

Cafés e restaurantes são os mais beneficiados com a Feira de Outubro

Comerciantes de roupa e sapatos sentem na pele a crise económica

São poucos os que compram roupa e sapatos novos para a Feira de Outubro. A festa beneficia cafés e restaurantes, mesmo assim alguns estão de férias para evitar a confusão.

Edição de 04.10.2006 | Sociedade
Já lá vai o tempo em que a Feira Anual de Vila Franca de Xira era sinónimo de lucro para os comerciantes locais. Antigamente, a época festiva era uma desculpa para fazer compras, mas hoje só os restaurantes e cafés consideram a feira vantajosa.“ A crise sente-se em tudo”, é a opinião da proprietária do Cristina Pronto-a-Vestir. Ana Rodrigues, lamenta que a tradição tenha vindo a perder-se ao longo do tempo. “Antigamente as pessoas tinham por hábito estrear roupa na altura da feira”, lembra a comerciante explicando que nessa época a feira ainda significava lucro. “Agora já nem nos lembramos que estamos em festa”, refere acusando a falta das bancadas de comércio que “animavam as ruas e atraíam as pessoas”.Leonilde Nascimento, da Sapataria Salema, partilha a mesma opinião. “Se dantes compravam sapatos para levar de propósito para a feira agora evitam levar coisas novas para não sujar com terra”, alegou a comerciante como justificação para a quebra no negócio. Leonilde Nascimento considera mesmo que é prejudicada, pois a loja encontra-se numa das ruas das esperas de toiros, o que significa que tem de fechar nessas alturas.Apesar de tudo, a restauração ainda sente a caixa registadora um pouco mais recheada por altura do certame, “mas não se compara com antigamente”, explica o sócio gerente do restaurante Sancho Pança. José Carvalho, recorda os tempos em que os estabelecimentos ficavam abertos até de manhã, o que hoje se tornou impossível. “Já não vale a pena e é um risco porque já não há respeito por nada e há sempre quem exagere na bebida.”, diz.Rui Santos, proprietário do restaurante Fartazana, teme que lhe aconteça o mesmo que no Colete Encarnado. “Sobraram-me uns dez barris de cerveja”, lembra. Apesar de tudo, na opinião do vilafranquense, a feira sempre aumenta o movimento do estabelecimento, que acaba por fechar mais tarde nessa semana, pois o que tem mais saída são os jantares. O que aprecia mais são as esperas de toiros, “mas hoje em dia já nem isso é o que era, os toiros são mais mansos, já vêm cansados de outros sítios” o que, no seu ponto de vista, se reflecte numa afluência de visitantes mais fraca.Mesmo sendo a Feira de Vila Franca, uma boa oportunidade para equilibrar as finanças, alguns cafés e restaurantes optam por encerrar nesta altura. Estes comerciantes não gostam da confusão e aguardam o regresso à normalidade da cidade na segunda-feira, 9 de Outubro, quando muitos estão já a ressacar mais uma Feira de Outubro.

Comentários

Mais Notícias

    A carregar...