uma parceria com o Jornal Expresso

Edição Diária >

Edição Semanal >

Assine O Mirante e receba o jornal em casa
31 anos do jornal o Mirante

Alex e Tiago Silva desequilibraram

União de Chamusca venceu Vilarense por 2-1 num jogo emotivo até final

O União da Chamusca venceu com justiça o Vilarense por 2-1 mas ninguém ficaria surpreendido se o resultado fosse outro. As duas formações proporcionaram um bom espectáculo de futebol e qualquer delas podia ter marcado mais golos.

Edição de 11.10.2006 | Desporto
União Desportiva de Chamusca e Vilarense protagonizaram este domingo um excelente jogo de futebol, com as duas equipas empenhadas em vencer e a procurarem materializar a vitória do primeiro ao último minuto. A equipa anfitriã, que sofreu uma remodelação quase total, está ainda a algo distante do que pode valer, e em determinadas fases do jogo abanou e acabou a tremer por todos os poros, mas aguentou-se e conseguiu uma vitória que se pode considerar justa. Muito bem montada, a equipa de Vilar dos Prazeres mostrou cedo que vinha à Parreira, casa emprestada do União de Chamusca, para vencer. E nada melhor do que entrar a pressionar para fazer tremer o seu adversário. Mas os comandados de Mário Lázaro mostraram também que não são uma equipa para se intimidar e o jogo passou a ser jogado com grande velocidade e repartido pelos dois meios campos.As duas equipas encaixaram-se uma na outra, mas os chamusquense, que vinham de dois maus resultados, um empate e uma derrota, tentavam apostar mais no ataque. Contudo foi o Vilarense que primeiro criou perigo. Um remate de Nelson, logo aos três minutos, levou a bola bater no poste da baliza do União.Até aos 15 minutos jogou-se bem e com muita luta a meio campo e algum ascendente dos comandados de Mário Ruas. O reduto defensivo do União da Chamusca actuava em bom plano e foi conseguindo contrariar as investidas do adversário.À entrada para o segundo quarto de hora a equipa chamusquense passou para a mó de cima e, aos 19 minutos, praticamente no primeiro remate à baliza, o irrequieto Alex fez o primeiro golo.Tudo começou num contra-ataque pela esquerda, já perto da área um defesa do Vilarense cortou a bola pela lateral. Encarregue da sua cobrança Sérgio Russo fê-lo comprido para dentro da área, ao primeiro poste Zico desviou a bola para o segundo e aí apareceu, de modo fulgurante Alex a desviar de cabeça para o fundo da baliza. A equipa do Vilarense reagiu então ainda com mais força mas os chamusquenses já tinham acertado nas marcações e sob a batuta de Tiago Silva iam conseguindo manter o seu adversário em sentido. Aos 36 minutos Alex esteve à beira de marcar o segundo golo mas a bola foi bater com estrondo no poste da baliza do Vilarense. No minuto seguinte, a equipa de Mário Lázaro chegou ao segundo golo. Tiago Silva teve uma jogada brilhante pela esquerda, entrou na área e foi rasteirado. Grande penalidade indiscutível que Alex se encarregou de transformar no segundo golo da sua equipa. Estava feito o mais difícil. Quando o árbitro apitou para o intervalo, a vantagem do União da Chamusca era um resultado exagerado para o que as duas equipas tinham feito até então. Na segunda parte o Vilarense entrou muito bem e o jogo, embora mais jogado no meio campo dos Chamusquenses, passou a contar com várias oportunidades de golo para ambos os lados. O contra-ataque da equipa comandada por Mário Ruas, que tinha em Márcio e Nelson os seus braços mais adiantados, dava “água pela barba” à defensiva de Chamusca.Contudo pertenceram aos chamusquenses as melhores oportunidades de dilatar o marcador, David Nunes e Alex falharam oportunidades de baliza completamente escancarada. Os comandados de Mário Ruas não se entregaram e passaram a acercar-se da baliza de Nelson com algum perigo. E aos 84 minutos o pequeno Márcio fugiu pela direita, entrou na área e à saída de Nelson rematou cruzado para o fundo da baliza, reduzindo a desvantagem. Daí até ao fim do jogo, viu-se a equipa da Chamusca a jogar autenticamente com o coração nas mãos, despachando bolas para quanto mais longe melhor.A vitória do União acaba por ser o resultado mais certo. Dominou durante mais tempo, criou as melhores oportunidades de golo e, nos momentos de maior aperto, a sua defesa mostrou-se quase intransponível. E sobretudo marcou mais um golo do que o seu adversário, que lhe valeu a vitória.A equipa de arbitragem chefiada por Rui Mendes esteve à altura do jogo, tecnicamente efectuou um excelente trabalho, deixou jogar, apitou pouco e por isso contribuiu também para o bom espectáculo a que se assistiu. Pecou apenas numa ligeira dualidade de critério na amostragem dos cartões, o capitão da equipa do Vilarense, Rogério devia ter visto a segunda cartolina. Treinadores satisfeitoscom os seus jogadoresOs treinadores Mário Lázaro e Mário Ruas eram dois homens satisfeitos no final do jogo. O treinador do Vilarense, considerou o resultado justo, “porque o União marcou mais golos” e destacou a prestação dos sues jogadores. “Jogámos de igual para igual frente a uma equipa muito bem orientada e formada por excelentes jogadores. Fizemos tudo o que pudemos, mas a vitória assenta bem ao União”, concordou Mário Ruas.Por sua vez, o treinador do União de Chamusca, garantiu que foi uma vitória saborosa, perante mais um adversário de grande categoria. Mas preferiu destacar o trabalho que vem sendo efectuado pelo grupo de trabalho. “É notável a disponibilidade que os jogadores têm para trabalhar. Depois de dois resultados menos conseguidos os jogadores não ficaram abalados e treinaram com entusiasmo durante a semana e deram aqui uma boa prova do que valem. E garanto que no futuro vamos ser ainda mais fortes”, garantiu

Comentários

Mais Notícias

    A carregar...