uma parceria com o Jornal Expresso

Edição Diária >

Edição Semanal >

Assine O Mirante e receba o jornal em casa
31 anos do jornal o Mirante

Auto-proclamado revolucionário, Serafim das Neves

Edição de 11.10.2006 | E-mails do outro mundo
Também eu não percebo essa coisa das dívidas das autarquias. Que eu saiba ainda nenhum presidente de câmara deixou de almoçar por causa disso, nem passou a andar de camioneta por não ter dinheiro para o gasóleo. Crise, crise vai por aí nalgumas fábricas e não há político que lhe dedique tanto tempo de antena. A rapaziada tem uma grande tendência para o exagero, não há dúvida.A Câmara de Santarém está mal?!! Olha, eu não acredito. Ele é festas, decorações nas ruas antes do Natal, anúncio de obras megalómanas, criação de fundações. Se aquilo é estar mal eu quero que me dê uma macacoa financeira já. Mas é que é mesmo já. Mesmo, mesmo, mesmo.E Alpiarça?! Olha lá Alpiarça!!! Como é que uma câmara endividada arranja dinheiro para tanta estátua??? E não te estejas a rir, olha que o escultor Armando Ferreira não é nada barato. Vê lá tu o metal que é preciso para fazer aqueles mataculhos de dois metros e meio de altura que há por lá aos pontapés. Só para aquela mulherona descascada com o cacho de uvas à cabeça o homem deve ter gasto mais bronze que o D. João V nos carrilhões de Mafra. E quem pagou? Não foi a câmara?!! Ora aí está!!!A crise não existe Serafim. É virtual, digo-te eu. Tu sabes como é que a recém-eleita comissão política da JSD de Santarém iniciou o seu mandato? Sabes? Com uma jantarada para oitenta pessoas. Eles podiam ter discursado a seco. Ficava de borla. Mas não, optaram por um inspirador repasto. Qual crise qual carapuça. A única crise que poderia haver era a de ideias, mas essa não faz mossa, como sabes. Já ninguém liga a isso em Portugal. Nunca ligou, é verdade.E isto vem desde a fundação da nacionalidade. O D. Afonso Henriques ficou a dever ao Papa que o reconheceu como rei. Se calhar a culpa disto tudo é dele. Como rei devia saber que o povo não perde uma oportunidade de imitar os maus exemplos. Hoje não há português que não tenha dívidas. É fantástico. Somos todos muito afonsinos. Mas eu compreendo a Juventude Social-Democrata. Quem é que não compreende a Juventude Social-Democrata?!!! Pelas minhas contas houve seis discursos. Provavelmente até foram mais. Foi o líder João Leite, a ex-líder Vânia Neto, foi o Moita Flores, o Ramiro Matos, o Daniel Fangueiro, o Miguel Relvas. Só de escrever estes nomes já estou de goela seca e as pernas tremem-me de fraqueza. Sem um bom jantar na mesa era humanamente impossível resistir.Da Chamusca também chegam notícias animadoras. Ao terceiro leilão de trastes velhos da câmara a oposição socialista acordou. E foi um despertar sobressaltado. Ai Jâsuza que o presidente da câmara anda a vender tesouros do nosso património por tuta e meia, gritou-se a plenos pulmões. Eu não digo nada. Estou como o São Tomé, só vendo. Quer dizer, não vendo nada para não ser acusado de delapidação municipal. Mas gostava de ver, lá isso gostava. Gostava de ver um detective em campo. Um ou muitos. Mas não era para saber se as mercadorias que o Sérgio Carrinho anda a leiloar são valiosas, não senhor. Eu gostava era de saber porque é que só ao terceiro leilão é que os socialistas reagiram. Estão convencidos que na política se seguem as regras dos leilões? Que só depois de o Presidente da Mesa disser à uma, às duas e às três, é que as moções, ou lá o que é, são arrematadas??!!!Um abraço bem leiloado do Manuel Serra d’Aire

Comentários

Mais Notícias

    A carregar...