uma parceria com o Jornal Expresso

Edição Diária >

Edição Semanal >

Assine O Mirante e receba o jornal em casa
31 anos do jornal o Mirante

A-dos-Bispos reclama atenção das autarquias

Falta manutenção e limpeza nas ruas onde moram dezenas de famílias

A indignação tomou conta de um grupo de moradores de A-dos-Bispos que se queixam do esquecimento do poder local de Vila Franca de Xira. A limpeza urbana não chega à localidade.

Edição de 11.10.2006 | Sociedade
Várias ruas de A-dos-Bispos, em Vila Franca de Xira, não têm manutenção regular. O lixo e as ervas amontoam-se deixando os moradores indignados com o abandono da localidade. Há cinco anos que José António Carvalho mora em A-dos-Bispos e diz que sempre conheceu os problemas de limpeza das ruas. Sacos de plástico e, sobretudo folhas, concentram-se em vários pontos da localidade e, segundo refere o morador, “se não formos nós a varrer à nossa porta ninguém limpa”. “Próximo das eleições fazem uma limpeza para enganar o pessoal, mas depois é raro ver alguém aí a limpar”, acrescenta Paulo Renato. Este morador conta ainda que houve em tempos uma cantoneira que ia fazendo algumas limpezas nas ruas, mas que já há alguns anos deixou de vir. Depois de vários contactos com a Junta de Freguesia de Vila Franca de Xira e de terem feito um abaixo-assinado a exigir a limpeza das ruas, os moradores reuniram-se já por duas vezes com o presidente da junta. Na sequência do encontro José Fidalgo mandou fazer uma limpeza às ruas com falta de manutenção.Francisca Pinheiro recorda que antes da intervenção havia locais onde as ervas chegavam a ter “meio metro”. A moradora lamenta o abandono da localidade e acusa a junta de freguesia de não se empenhar. Ana Avelar chama a atenção para o facto de as ruas já estarem de novo “cheias de folhas e outras porcarias” e já ser necessária nova limpeza. A moradora, residente em A-dos-Bispos há mais de 30 anos, acrescenta que “por este andar terá que ser a chuva mais uma vez a varrer as ruas”.Contactado por O MIRANTE, o presidente da Junta de Freguesia de Vila Franca explicou que na origem do problema está o facto de as ruas em causa ainda não terem sido recepcionadas pela câmara municipal. José Fidalgo referiu que “como não há recepção definitiva a câmara não pode delegar essa competência à junta, como acontece”.O facto de as vivendas construídas, ou em construção, pertencerem a processos de loteamento diferentes leva a que faltem fazer algumas infraestruturas, sobretudo acessibilidades para aliviar a Estrada Nacional 248. De acordo com o presidente, a junta vai fazendo “intervenções muito pontuais para minimizar os impactos e ajudar os moradores”. José Fidalgo sublinhou, no entanto, que a responsabilidade não é da junta de freguesia e adiantou que dia 20 de Outubro vai reunir com a Câmara de Vila Franca para encontrar soluções, juntamente com os diferentes urbanizadores.

Comentários

Mais Notícias

    A carregar...